Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Alunos do 1º e 2º períodos do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Graziela Ribeiro, bairro Alvorada, zona Oeste, participaram nesta quinta-feira, 29/8, em tempo integral, do festival folclórico e da 10ª feira gastronômica, com o tema “Uma década de sabores e ritmos”. Com total de 467 crianças, a ação da escola faz parte do projeto “Hábitos alimentares para uma vida saudável”, implantado em 2010. O evento teve a participação dos pais, responsáveis e convidados dos alunos.

A programação contou com o desfile do rei e rainha do festival folclórico, apresentação de danças, homenagem para os ex-funcionários, sorteio de rifa, banner espalhados pelos espaços da escola e a feira, que fez uma retrospectiva das temáticas dos anos anteriores abordados pela escola com alunos e pais.

A diretora do Cmei, Raquel Thomé, disse que o evento tem um cunho pedagógico de interação da escola com os pais, seja com a programação do festival e aprendizado com a temática da feira, pela proposta de uma alimentação saudável.

“Este ano é especial porque é a 10ª edição da feira e então resolvemos fazer uma releitura dos anos anteriores, trabalhando com peixes do Amazonas, frutas regionais e outras temáticas que foram desenvolvidas ao longo dessas nove edições. Aliamos com o festival folclórico, apresentando danças e oportunizando a degustação de alimentos pela comunidade”, concluiu.

A assessora pedagógica Ildeane Araújo, da Divisão Distrital Zonal (DDZ) Oeste, acompanhou de perto toda programação e elogiou o trabalho realizado pela escola com as crianças.

“Nos assessoramentos, a gente verifica como o trabalho vai sendo construído no material apresentado pela escola, sendo diário das professoras. Este é um momento que a gente constata a ação das educadoras com as crianças, que são protagonistas de todo trabalho pedagógico”, disse.

Integração

A autônoma Luciana Ferreira Maciel, finalista do curso de Administração, mãe da aluna do 1º período, Sarah Ferreira Maciel, 5, não perde nenhuma programação na escola. Para ela, a participação dos pais é muito importante, além do aprendizado que os alunos conseguem adquirir.

“Este evento é muito importante, minha filha falou em casa, ficou muito empolgada e eu gostei muito da programação. Ela veio de uma escola particular e não teve algo parecido lá. Ela comentou sobre a feira, as danças, mostrou o trabalho que fez com a professora e até pesquisou na internet para mostrar isso pra mim”, comemorou.

A manicure Jaiane Silva de Farias, 27, mãe do aluno do 1º período, João Pedro Farias dos Santos, 5, da sala de recursos, também ficou satisfeita com a programação, porque considera um momento de integração do seu filho com outras pessoas. “Meu filho é autista e fica mais marcada ainda essa interação, chegou até a cantar músicas em casas. É muito importante esse momento para essas crianças, como ele tem problema de interação social, isso ajuda bastante mesmo”, disse.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •