Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em meio a votação da reforma da Previdência em 1º turno, o governo federal liberou mais de R$ 177,9 milhões em emendas parlamentares voltadas à área de saúde.

De acordo com a edição extra do Diário Oficial da União da quarta-feira (10) quatro portarias publicadas pelo Ministério da Saúde habilitam 11 Estados a receberem recursos referentes ao incremento temporário do limite financeiro da assistência de média e alta complexidade.

Do total de R$ 177,9 milhões, ao Amazonas coube o seu quinhão: R$ 3.675.878,00, distribuídos entre Manacapuru, que ficou com R$ 3.111.467,00 e Lábrea, com  R$ 564.411,00.

Foi tudo. Nada mais.

Uma migalha, a sobra da bondosa distribuição feita aos 10 estados restantes – Espírito Santo, Alagoas, Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, Sergipe, São Paulo, e Ceará.

Na hipótese de equidade na divisão do bolo, uma simples conta de aritmética demonstra que caberia a cada estado uma parcela igual de 16.1 milhões. Mas não é bem assim que a coisa funciona. Basta uma simples verificação no montante distribuído ao estado das Alagoas para constatar o tamanho da discriminação.

Enquanto apenas dois município do Amazonas foram contemplados com alguns caraminguás, 20 municípios do estado de Alagoas foram selecionados e premiados com o benefício das famigeradas emendas parlamentares.

Qual o total recebido? Mais de R$ 66.669.177,00 milhões.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o estado de ALAGOAS possui 102 municípios e depois dizem que o Amazonas não é o patinho feio do Brasil.

Eis os valores liberados em cada portaria:

Portaria 1.7272019 R$ 8.500.000,00

Portaria 1.7672019 R$ 70.570.211,00

Portaria 1.7682019 R$ 51.677.433,00

Portaria 1.7692019 R$ 47.168.978,00


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •