Divulgação/Polícia Militar do Rio de Janeiro
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um cachorro correu atrás de uma viatura da Guarda Municipal que levava seu dono para a delegacia na manhã de quinta-feira (24/10/2019). O caso ocorreu em Volta Redonda, na região sul do Rio de Janeiro.

Na ocasião, havia uma operação conjunta entre a Guarda Municipal e as polícias Civil e Militar. Depois de percorrer mais ou menos 1km atrás da viatura, os guardas pararam e permitiram que o cachorro entrasse no carro para ficar junto com o dono, que é morador de rua.

Um policial que registrava a escolta, filmou o cão. A operação tem como objetivo cadastrar os moradores de rua para saber de onde são, se tem passagens pela polícia ou algum mandado de prisão em aberto.

Em setembro deste ano, outro caso curioso foi noticiado. De acordo com reportagem do G1, um cachorro passou a morar em um cemitério de Taboão da Serra, na Grande São Paulo, desde que a dona morreu e foi enterrada no local. Conhecido como “Bob coveiro”, o animal vive no local há 10 anos e mudou completamente a rotina dos funcionários e visitantes.

Ainda segundo a reportagem, Bob puxa os cortejos e acompanha os amigos e familiares até o fim das cerimônias no Cemitério da Saudade.

No DF, outra demonstração de carinho do cão com o seu dono. Em abril deste ano, um homem foi atropelado em Ceilândia e precisou ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). No entanto, o cachorro dele se recusou a sair de seu lado durante o atendimento.

“O que mais despertou atenção foi a situação de amor do cachorro pelo dono”, destacou Márcia Medeiros, técnica em enfermagem da equipe do Samu, na ocasião, ao Metrópoles. “Ninguém da rua parou para dar atenção para ele quando foi atropelado, mas o cachorro estava lá o tempo todo.” O condutor socorrista Jeziel Rodrigues e o técnico em enfermagem Moabi José também participaram da ocorrência.

Ariovaldo, como é conhecido o homem, reside na região e estava catando latinhas quando foi atropelado por um carro. O motorista fugiu do local, conta Márcia. Posteriormente, o carrinho de compras usado pela vítima foi roubado por alguém não identificado.

O cachorrinho pulou para o colo do dono enquanto os profissionais prestavam socorro e se recusou a deixá-lo. A avaliação só pôde ser realizada quando um vizinho segurou o animal. Ainda assim, a equipe não viu outro jeito senão colocar o bichinho na ambulância. Quando foi solto, saltou em cima da maca e ali permaneceu.

Ariovaldo não sofreu ferimentos ou fraturas, mas foi encaminhado para realizar radiografia devido ao procedimento padrão. Nesse meio tempo, o cachorrinho, de nome Nada Consta, foi mantido com os socorristas na Unidade de Suporte Básico (USB) Ceilândia 3.

“Ele aproveitou a primeira abertura dos portões para fugir e voltar para a casa do dono”, contou Márcia. “Nunca aconteceu um caso desses. O cachorro foi como um acompanhante.” (Com Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •