Foto: Sérgio Barzaghi/Gazeta Press
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A paralisação dos torneios nacionais por conta do coronavírus impactou negativamente os clubes brasileiros. Muitos foram prejudicados pela suspensão de contratos e a redução da receita. No Corinthians, a situação não foi diferente. O Timão vem enfrentando problemas por conta da eliminação na Libertadores e a situação no Campeonato Paulista, e a pandemia só atrapalhou ainda mais.

No sábado, Andrés Sanchez detalhou os cortes sofridos pelo time durante o período. O presidente destacou que os patrocinadores estão pagando em dia, mas alguns tiveram seus contratos suspensos.

“Estão pagando em dia sim, mas dos nove patrocinadores que temos, seis suspenderam o pagamento e três estão pagando 25%. Se o futebol não voltar no mês que vem, todos os clubes não cumprem seus compromissos”, disse em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Andrés ainda falou como pretende resolver a situação com a volta do futebol. “Os outros 75% (dos que estão pagando 25%) serão pagos quando voltar o futebol, que nem na televisão. Isso vai se acumulando. Alguns vão pagar 50%, alguns 100% e dois estão brigando para pagar. Estamos tentando chegar em um comum acordo entre ambas as partes”, concluiu.

Para tentar amenizar os problemas, o Corinthians reduziu o salário dos jogadores em 25% e dos funcionários em até 75%. O clube fechou o ano de 2019 com um déficit de R$ 177 milhões, um recorde em sua história. (Gazeta Esportiva)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •