Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Uma equipe de especialistas de três institutos europeus e um norte-americano descobriu que o anticorpo S309 é capaz de neutralizar tanto o novo coronavírus (Sars-CoV-2), causador da Covid-19, quanto o Sars-CoV-1, responsável pela Sars. O achado foi publicado nesta segunda-feira (18) na Nature.

Segundo os especialistas, o anticorpo foi identificado do pela primeira vez em uma amostra de sangue de um paciente que se recuperou da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) durante a epidemia que acometeu a China em 2003. Agora, em testes mais recentes realizados em culturas de células, os pesquisadores descobriram que a partícula também inibe o Sars-CoV-2.

“No momento, não há ferramentas aprovadas ou terapêutica licenciada comprovada para combater a Covid-19”, afirmou David Veesler, um dos pesquisadores, em comunicado. A equipe acredita que o anticorpo poderia ajudar o sistema imunológico dos infectados neutralizando a atuação do novo coronavírus.

O anticorpo S309 é potente em focar e “desativar” a proteína spike, parte do Sars-CoV-2 que permite a entrada do microrganismo nas células humanas. Segundo os especialistas, a partícula estudada foi capaz de neutralizar a ação dessa proteína, minando, asism, a infecção pelo novo coronavírus.

Os pesquisadores descobriram que o S309 é capaz de reconhecer características específicas comuns a diversos tipos coronavírus, inclusive o Sars-CoV-2. Provavelmente é por isso que esse anticorpo é capaz de agir contra diversas doenças causadas por esses microrganismos..

De acordo com os estudiosos, o que diferencia o S309 dos demais anticorpos que estão sendo estudados é que ele foi detectado em alguém que adoeceu 17 anos atrás por conta de outro tipo de coronavírus. “Foi isso que nos permitiu avançar com tanta rapidez em comparação a outros grupos [de pesquisa]”, disse Veesler.

Esses achados são importantes para estudar possíveis mutações desses vírus, além de embasar pesquisas sobre tratamentos capazes de prevenir infecções por esses microrganismos. Com informações de Revista Galileu.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •