O juiz Luís Carlos Valois com embalagem de leite de cannabis, na Alemanha (Imagem: Reprodução/Instagram)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O comentário mais simpático – menos ofensivo, digamos assim – de um repertório que passa, inclusive, por xingamentos à mãe, lançado nas redes sociais contra Luiz Carlos Valois, foi o de juiz maconheiro, defensor de bandidos.

Na realidade, para Luiz Carlos Valois, juiz de direito residente em Manaus (AM), atualmente cursando o pós-doutoramento na Alemanha, não é a primeira vez que é alvo da fúria odiosa daqueles que não aplaudem suas ideias progressistas como, por exemplo, sua defesa em favor da legalização da maconha.

Em suas redes sociais, após ameaças explicitas lançadas por policiais militares contrários à marcha da maconha que seria realizada em Manaus em junho, Luiz Carlos, educadamente, resolveu, no bom sentido, entrar na briga e, pedagogicamente, comentou:

“Hoje, em uma farmácia existe droga muito mais perigosa e que pode causar muito mais danos que essas que são vendidas no mercado paralelo”.

Pois é.

Na realidade, Luiz Carlos não é a favor da liberação das drogas, como disse na terça-feira, 08, ao site de notícia, UOL.

Ao contrário disto, Luiz Carlos defende a descriminalização para regulamentar o consumo porque, conforme destacou, as drogas já estão liberadas.

“Drogas deveriam ser tratadas como um problema de saúde pública. Temos o álcool, que é uma das drogas que mais causa violência, que mais causa mortes e é regulamentada”, explica.

Clique aqui e leia matéria completa


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •