Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Adriane Galisteu fez revelações sobre a ocasião em que posou nua para a revista Playboy, em 1995. Foram mais de 1 milhão de exemplares vendidos, um recorde na época, e a apresentadora garantiu que só fez o ensaio por dinheiro.

Galisteu recebeu meio milhão de dólares para posar nua na ocasião. Quando ela posou para a revista, faziam 15 meses da morte do piloto Ayrton Senna, ex-namorado da apresentadora.

“Nunca escondi que fiz por dinheiro. Eu vivia de favor na época que surgiu o convite. Eu estava num momento muito difícil, não só pela morte do Ayrton. Não sabia o que ia acontecer comigo. Tinha também um irmão doente em casa (ele viria falecer logo depois em decorrência da Aids). Não tinha outra saída e decidi fazer. Me apeguei nas mulheres, todas poderosas, que já tinham feito e me deram a chance de escolher a equipe a dedo. Foi um marco na minha vida pessoal e profissional e me deu estabilidade financeira”, contou Adriane Galisteu na live com o canal Clube da VIP, no YouTube.

Segundo Galisteu, foram 10 dias de trabalho na Grécia, além de mais de 10 mil cliques feitos nas belezas da Grécia.

De todos os registros, sendo que 200 foram escolhidos, o fotógrafo JR Duran só não abria mão da famosa foto da depilação: “Ele estava certo. Até hoje acho que só vendeu tanto por causa do bafafá criado por essa foto. Virou até matéria do Fantástico na época”.

De todas as fotos publicadas, apenas uma passou precisou ser manipulada depois, e de um jeito bem artesanal. “Não existia photoshop na época. A foto da depilação, olhando com uma lente de aumento, mostrava um pouco mais do que podia aparecer. Então, chamaram alguém para pintar de nanquim uns pelinhos na foto para cobrir. Foi o único, digamos, photoshop da revista”, explicou Galisteu. (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •