Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh), cadastrou 61 famílias para acompanhamento. São famílias que ficaram desabrigadas ou necessitam de atenção especial após a chuva que começou na noite de sexta-feira, 07, e encerrou-se neste sábado, 08. Também estão recebendo total apoio da prefeitura os familiares das duas vítimas fatais. Ao todo, 34 famílias foram incluídas no Aluguel Social, no valor de R$ 300, mas os cadastros continuam neste domingo, 09.

Durante o sábado, 08, a Defesa Civil registrou 90 ocorrências por meio do número de emergência 199. Os chamados foram de diversas zonas da cidade. Os mais graves foram nos bairros da Compensa, Japiim, Campos Sales, Petrópolis e Comunidade da Sharp (Armando Mendes).

Entre os registros, ocorreram alagamentos nos bairros da União, Nossa Senhora de Fátima II, Mutirão, Novo Reino II, Santa Luzia, Praça 14 de Janeiro, Armando Mendes, Nova Esperança, Colônia Santo Antônio e Santo Agostinho; além de 40 deslizamentos de barrancos nos bairros Tancredo Neves, Nova Floresta, Praça 14 de Janeiro, Nova Vitória e Colônia Oliveira Machado. A Defesa Civil também registrou risco de desabamento de muro e o tombamento de uma árvore no Japiim I; além de desabamentos parciais de casas nos bairros do Distrito Industrial, Redenção, Alvorada, Compensa II, São Francisco, Santo Agostinho, Armando Mendes, Colônia Antônio Aleixo, e Petrópolis. Um muro desabou no São Geraldo e há três riscos de desabamentos de casa nos bairros Zumbi, Nova Esperança e São Jorge.

Na comunidade Meu Bem Meu Mal, na Compensa II, zona Oeste – uma das áreas mais afetadas pela chuva – 11 famílias foram cadastradas pela prefeitura e realocadas para casas de vizinhos, parentes, amigos e também para um abrigo improvisado na igreja da área. Elas foram diretamente encaixadas no Aluguel Social. No local, além da ação da Defesa Civil, que auxiliou as famílias a saírem de suas moradias e prestou as orientações necessárias junto a Semasdh, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) também foi convocada para atuar na área, que deve receber uma contenção para evitar novos desmoronamentos.

Na comunidade Manaus 2000, no Japiim, zona Sul de Manaus, das 50 cadastradas, 23 famílias foram incluídas no Aluguel Social.


Goreth Garcia, visitou pessoalmente vários pontos da cidade afetados pela chuva

No Campos Sales, zona Oeste, a família que receberá acompanhamento na prefeitura é a do caseiro Edilson Maria de Oliveira, de 54 anos, que estava dormindo, quando foi atingido pelo desabamento de um muro sobre a casa na qual estava, na rua Sabiá. A família do bebê de quatro meses, que também morreu em decorrência do deslizamento de um barranco que atingiu a casa na qual morava com os pais, na rua 1, Petrópolis também estão tendo acompanhamento da prefeitura. Os pais da criança foram atendidos, ainda na tarde de sábado, pela secretária da Semasdh e primeira-dama, Goreth Garcia. Durante o encontro, ficou acertado que a prefeitura prestaria todo o auxílio necessário à família.

Durante a semana, estas famílias terão suas situações acompanhadas e receberão o apoio necessário da prefeitura, de acordo com cada caso. Um dos mecanismos de ajuda é o Aluguel Social, que é repassado para a família, conforme a situação.

Ainda na noite deste sábado, a secretária Goreth Garcia esteve na Comunidade da Sharp, localizada no bairro Armando Mendes, para avaliar os estragos causados em decorrência da chuva. No local, a secretária frisou que reuniria o mais breve possível com o governo do Estado na tentativa de as duas esferas de poder buscarem juntas soluções para as famílias da área.

Mais de 50 servidores do Departamento de Proteção Pessoal e Especial (DPPE) da Semasdh trabalham na ação em toda a cidade, além de todas as equipes da Defesa Civil – as administrativas também foram chamadas para suporte. “A prefeitura recebeu chamados de diversas partes da cidade, mas ressalto que é um momento em que todos devem ajudar. Temos o Disk Direitos Humanos da prefeitura, que é o 0800-0926644 e está aberto para estas doações. É fundamental a ajuda de todo mundo agora. Temos famílias que já estão com casas no leito do rio, com a erosão por conta da chuva. Estamos com a ajuda do governo do Estado, que está agindo aqui, vamos estar juntos neste domingo e segunda-feira”, explicou a secretária do município, ressaltando que em virtude da gravidade da situação, algumas famílias, mesmo inseridas no Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim) também serão cadastradas pela prefeitura.

Goreth Garcia frisou ainda a necessidade de uma mentalidade mais solidária por parte da população. “É uma missão nossa trabalhar sempre o espírito solidário das pessoas. É a chuva agora, depois é a enchente, é a seca, a dengue, é um incêndio. Infelizmente nós temos recursos limitados e é aí que entra a solidariedade humana. Acreditamos que até o final dessa administração nós tenhamos criado uma nova mentalidade. Sabemos que a população tem senso humanitário e vai ajudar”.

Os pluviômetros instalados em Manaus registraram chuva em todas as zonas. Na zona Leste, o volume chegou a 139.8 mm, na zona Norte a 104.8 mm, na Sul os registros foram de 148 mm e na Oeste de 218.6 mm.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •