Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Depois de mais de um ano desativado, o Porto Fluvial de Itacoatiara – Amazonas, voltou a operar desde a última quarta-feira, 19. O porto funcionou até março de 2019, quando a Marinha do Brasil inspecionou o local e interditou solicitando algumas benfeitorias no local, como: a manutenção das defesas de pneus e madeira, rede de combate a incêndio, pintura dos elementos navais, serviços dos elementos navais, instalação elétrica e certificação.  

A retomada das atividades proporcionará ganhos econômicos significativos para a região. Além de um sinal de reação econômica, o resultado está diretamente associado ao retorno do transporte e à diversificação de cargas movimentadas no porto. 

“Nós queremos aqui agradecer ao DNIT, por mais essa obra realizada em Itacoatiara. A entrega deste porto significa, portanto, embarque e desembarque de pequenas cargas, mas terá uma influência e um significativo muito grande para a cidade uma vez que a nossa cidade tem uma vocação portuária muito grande que recebe barcos de todos os Estados da Região Norte.”, disse o prefeito Antônio Peixoto.

De acordo com o diretor-geral do DNIT, Tarcísio Gomes de Freitas, por meio de suas redes sociais, a instalação portuária de Itacoatiara, foi entregue pelo Governo Federal, reativada e já está em operação.  

Tarcísio também enfatiza que toda a Amazônia está sendo equipada de pequenos terminais para alavancar o modo de transporte hidroviário, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).  

“Foco na integração e no desenvolvimento econômico com a maior circulação de bens, pessoas e serviços. Itacoatiara é a 3ª maior cidade do estado, funciona como entreposto entre Manaus e os portos do Pará e possui uma atividade agropecuária relevante para a região”, disse Tarcísio. 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •