Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

“A Arena da Amazônia é só o começo de um trabalho que vai impulsionar um setor importante da economia, que é o turismo. Agora vamos lutar para ter o nosso aeroporto, o nosso porto, nossas estradas, enfim, preparar cada vez mais nosso estado para receber mais investimentos, gerar emprego, renda e proporcionar novas oportunidades”, avaliou o senador Eduardo Braga, neste domingo (09/03), durante a inauguração da Arena da Amazônia.

O novo estádio amazonense será palco dos jogos da Copa do Mundo de 2014 em Manaus, uma das 12 cidades-sede do mundial. Na sua construção, orçada em R$ 669,5 milhões, foram gerados 3,3 mil empregos diretos, ao longo de toda a obra. A Arena da Amazônia é o oitavo estádio pronto para receber a Copa do Mundo de 2014.

“É uma obra magnífica. Nossa arena está entre os 15 melhores estádios brasileiros e é, sem sombra de dúvidas, o mais bonito do Brasil”, afirmou o senador Eduardo Braga, principal idealizador do projeto que trouxe a Copa de 2014 para Manaus.

De acordo com o senador, com a inauguração da Arena da Amazônia, depois dos jogos da Copa do Mundo da Fifa, Manaus estará credenciada para receber grandes eventos internacionais de futebol, como a Copa Sulamericana, Taça Libertadores das Américas, Eliminatórias da Copa do Mundo, entre outros.

“A partir de hoje, somos referência no Norte do país. Já a partir deste ano, poderemos receber jogos da série A do Brasileirão. Isso será uma grande motivação para os nossos times aqui do Amazonas. Tenho certeza que o nosso futebol profissional passará por uma renovação nos próximos anos”, afirmou o senador.

Eduardo Braga lembrou da luta para trazer a Copa da FIFA para Manaus. Na fase de seleção das cidades-sede, a capital amazonense disputou a vaga com Belém, do Pará, e Rio Branco, do Acre.

“Eu me sinto responsável por esse sonho realizado, pois lutei muito para trazer a Copa do Mundo para Manaus. Desenvolvemos o projeto desta Arena em conjunto com os arquitetos da agência Deloitte, a mesma que projetou os estádios da Copa da Alemanha, corremos atrás dos recursos para a construção dessa obra magnífica e, hoje, entregamos ao povo amazonense esta Arena multiuso que receberá grandes eventos nos próximos anos”, declarou.

Na avaliação do vice-presidente da Associação dos Cronistas e Locutores do Amazonas, jornalista Paulo Roberto Pereira, a Arena da Amazônia será um marco para o futebol amazonense.

“Agora teremos grandes jogos no Amazonas que, com certeza, devem impulsionar o futebol local. A Arena está bonita, confortável para o público e funcional para quem trabalha nos jogos”, afirmou.

Para o administrador do novo estádio, Arioswaldo Malízia, a Arena da Amazônia abre novos horizontes para o futebol profissional do Amazonas.

“O torcedor precisa voltar a frequentar o estádio, os empresários devem olhar com mais carinho para os times locais e assim retomamos o futebol no Estado”, disse.

A ARENA EM NÚMEROS

A Arena da Amazônia tem capacidade para 40,5 mil torcedores. Além das arquibancadas, o estádio possui 61 camarotes, 98 banheiros, sendo 16 para deficientes, e 17 quiosques de alimentação. Nas arquibancadas, são 118 cadeiras para deficientes físicos ou pessoas com mobilidade reduzida, 69 assentos para obesos e 445 destinados aos acompanhantes.

No total, a arena possui cinco níveis, sendo o mais baixo o do campo de jogo, que também conta com os vestiários, estacionamento, zona mista e saguão VIP. No segundo nível estão as bilheterias, áreas técnicas, lounges e rampas de serviços. Acima do pódio está o nível com camarotes, hospitalidade e áreas de transmissão e no nível cinco estão a arquibancada superior, lanchonetes e bares. A circulação interna dos torcedores pode ser feita através de 21 escadas, ou de oito elevadores, sendo quatro na área VIP.

A irrigação do campo é automatizada e feita por 35 aspersores e pode utilizar a água dos reservatórios, com capacidade para 120 mil litros, que armazena a chuva captada pela cobertura. A água é toda refiltrada e retratada para ser reutilizada. A área de captação de água na cobertura é de mais de 20 mil metros quadrados.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •