Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

METRÓPOLES – Os vãos entre as barras de ferros da cerca metálica que separa os Estados Unidos (EUA) do México serviram de suporte para a curiosa instalação de um arquiteto norte-americano que buscava uma forma lúdica de as pessoas dos dois lados se unirem. Dois acadêmicos instalaram gangorras feitas pelo professor Ronald Rael em trecho da fronteira entre El Paso (EUA) e Ciudad Juaréz (México).

As peças, que foram pintadas na cor rosa, podem ser vistas à distância. No Instagram, Rael postou vídeos e fotos do momento em que as pessoas de cada lado da fronteira participaram da brincadeira. Para o arquiteto, além de proporcionar lazer e união, as gangorras também são uma forma de protesto contra as políticas migratórias.

“O muro tornou-se um fulcro literal para as relações EUA-México. Crianças e adultos foram conectados de maneira significativa em ambas as partes, com o reconhecimento de que as ações que acontecem de um lado têm uma consequência direta no outro”, escreveu ele em um post no Instagram.

De acordo com o jornal The Guardian, o conceito das peças já existe há 10 anos e foi desenvolvido por Rael, que ocupa a cadeira de arquitetura na Universidade da Califórnia em Berkeley e na Virgínia San Fratello, e de design na San José University.

 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •