Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Manaus de 2030, a Zona Franca de Manaus e a Amazônia foram alguns dos temas abordados pelo prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, em palestra para alunos do curso de economia, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). O encontro foi realizado no auditório da Escola Superior de Tecnologia (EST), Zona Centro-Sul, na noite da segunda-feira, 16/9.

Na ocasião, Arthur destacou êxitos de sua gestão graças à política austera que implantou no início de sua gestão e que resulta em uma prefeitura equilibrada financeiramente, com créditos em instituições financeiras nacionais e internacionais. “Pretendo passar a prefeitura, para quem me substituir, com dívida zero, provando nossa seriedade”, declarou o prefeito de Manaus, que estava acompanhado da presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama, Elisabeth Valeiko Ribeiro.   

Em sua fala, Arthur destacou o Planejamento Estratégico Manaus 2030, que busca pensar a capital do Amazonas do futuro, além dos quatro anos de mandato, criando projetos que caibam no orçamento, por meio de um trabalho integrado entre todas as secretarias. Outro exemplo citado por ele é o fato de ter a melhor Previdência municipal do país.

“Encontramos uma Previdência falida, e hoje é tricampeã em responsabilidade previdenciária. Somos a cidade mais ajustada na área fiscal. Temos uma grande capacidade de pagamento e de endividamento. Isso se traduz nas obras que estamos realizando por toda a cidade, com um bilhão de reais em investimento, tudo fruto de responsabilidade fiscal. E pretendo passar a prefeitura, para quem me substituir, com dívida zero, provando nossa seriedade”, ostentou.

Durante a palestra, o prefeito enfatizou a importância da Zona Franca de Manaus, não só para a economia, como também para sustentar em pé a Floresta Amazônica. Segundo ele, a floresta deve ser uma fonte de enriquecimento do Amazonas e do Brasil, a partir de uma exploração com sustentabilidade, valorizando a biodiversidade.

“Ninguém vai contestar a soberania da Amazônia se houver uma governança com responsabilidade. Para isso é necessário investimento na ciência e, principalmente, a criação de mão de obra local especializada. Hoje está clara a importância da Amazônia para o país, mas é preciso que todos entendam que essa é a região mais estratégica para o país. A Amazônia é nossa e por isso temos que cuidar muito bem dela”, concluiu o prefeito.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •