Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O prefeito Arthur Neto (PSDB), depois de decretar no dia 27 de julho, pelo prazo de 90 dias, intervenção financeira nas empresas de transporte coletivo de Manaus, não está nem um pouco interessado em conceder algum tipo de trégua aos donos do sistema.

Muito pelo contrário.

A depender da deliberada vontade do prefeito, a intervenção só termina no último minuto do dia 31 de dezembro de 2020, a meia, conforme declarou nesta quarta-feira, 18.

E não é pra menos.

No conceito de Arthur, os empresários do sistema de transporte coletivo de Manaus estão mais sujos do que “pau de galinheiro”.

Os empresários do transporte, segundo o prefeito, são os piores que vivem no mundo.

“Todos são de fora. Todos drenaram recursos de Manaus para suas empresas que mantém fora do estado. As pessoas merecem saber a verdade e vamos mostrá-la”, dispara o prefeito.

De acordo com o prefeito, a intervenção objetiva fundamentalmente saber a origem de cada centavo que sai das empresas de transporte coletivo de Manaus.

Arthur declarou, também, que a intervenção é a primeira das medidas duras que serão tomadas para melhorar os serviços do transporte coletivo em Manaus.

O prefeito nomeou como interventor do sistema de transportes o empresário Francisco Bezerra.

Confira o vídeo:


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •