Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Desde 2017 o prefeito de Humaitá, Herivaneo Vieira de Oliveira, conhecido como “Herivaneo Seixas” tem exercido o seu mandato “inspirado” digamos assim, no “Reizinho Mandão”, aquele que serviu de título à obra literária de Ruth Rocha e José Cardoso Pires que reflete a realidade social e política do Brasil e de Portugal em períodos ditatoriais.

Que diga a Associação Transparência de Humaitá que usou de todos os meios legais, democráticos e republicanos, para obtenção de uns documentos públicos municipais sem, contudo, lograr êxito às suas justas e inquestionáveis pretensões.

E lá se vão quase quatro anos, tempo correspondente ao tamanho do mandato do prefeito. É isso mesmo, quase quatro anos.

O máximo que conseguiu, isso depois de invocar à justiça por proteção e garantias constitucionais, foram alguns poucos documentos e ainda assim, incompletos.

Além de incompletos, o prefeito “mandão” entregou os documentos sob uma condição pra lá de arrogante: pagar R$ 10 mil pela reprodução dos mesmos.

A exigência que foi rigorosamente cumprida.

E a decisão casa justiça? A decisão proferida nas diferentes instâncias, o “Reizinho Ditador” ignorou.

Herivaneo fez de contas de nada saber e que está quites com justiça.

Não está, não. Herivaneo, que se negou a cumprir acintosamente uma decisão judicial agora vai ter que encarar com o mesmo arroubo o Ministério Público.

No dia 29 do mês passado, a associação pediu, por meio de notícia de fato, respaldada com robusta documentação, o imediato afastamento do cargo de prefeito de Herivaneo Vieira de Oliveira.

A reportagem do site tentou falar com o mesmo pelo número 69 9811x-729x, mas até a edição desta matéria não conseguiu, o celular estava fora da área de serviço.

Veja documento

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Download [2.42 MB]

 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •