Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Começam nesta sexta-feira (23/08) e vão até o dia 1º de setembro os Jogos Parapan-Americanos 2019, que acontecem na cidade de Lima, no Peru, e a delegação brasileira contará com atletas amazonenses do Centro de Treinamento de Alto Rendimento do Amazonas (Ctara). Lucas Santos, do Para-Powerlifting (Halterofilismo), Mikaela Costa Almeida, do Para-Badminton, e Goutier Rodrigues, do Tênis de Mesa, contam com o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

Lucas, com apenas 17 anos, é uma revelação no halterofilismo e, apesar de praticar o esporte há somente três anos, tem vários títulos regionais, nacionais e internacionais, sendo seu maior feito o Bicampeonato Mundial. O primeiro foi conquistado em 2018, e o segundo neste ano, no Cazaquistão, onde quebrou o recorde das Américas ao levantar 126 kg no Supino.

Em Lima desde o último sábado (17/08), ele se mantém focado para a estreia, no dia 29, treinando todos os dias e contou que nunca imaginou chegar tão longe. “Eu lembro que tenho pouco tempo no halterofilismo, do convite do meu técnico para treinar, e eu não imaginava tudo isso. Hoje estou em mais uma competição internacional e vou dar o meu melhor pelo Brasil e pelo Amazonas”, declarou, já projetando voos mais altos, como participar, futuramente, de uma Paralimpíada.

Outro prodígio do esporte amazonense, Mikaela Costa recebeu a convocação para a competição no dia 25 de junho e, desde então, intensificou os treinamentos. Mika, como é carinhosamente chamada pelos amigos, já havia sido convocada nesse ano para compor a seleção brasileira de Para-Badminton, e estava em São Paulo treinando e competindo.

A atleta, que foi revelada por um projeto de badminton do Ctara, disputa grandes campeonatos desde 2015. Ano passado, também no Peru, participou do Pan-Americano da modalidade, onde foi bronze no individual. Em 2019, o Badminton estreia no Parapan-Americano, como uma das novidades no programa da competição histórica.

“Eu me sinto muito feliz de fazer parte desse momento do nosso esporte. Quando pensarem no primeiro Parapan que teve competição de Badminton, eu e toda a nossa equipe teremos participado. Estamos bem atentos aqui e seguindo nossos técnicos. A rotina é de treino intenso para chegarmos no primeiro lugar do pódio”.

Vencendo barreiras – Diante dos seus 40 anos de idade, Goutier venceu limitações e está na competição com uma vasta experiência e títulos, acumulados durante 22 anos dedicados ao Tênis de Mesa. Perguntando sobre a satisfação de fazer parte da competição, ele é enfático.

“Estou muito feliz. São muitas lutas, mas quando chegamos a um Parapan, percebemos que valeu a pena”, comentou ele. O mesatenista agradeceu a todos que o ajudaram a chegar na competição, incluindo a Sejel, pelo apoio dado.

Apoio do Estado – O titular da Sejel, Caio André de Oliveira, falou sobre todo o aporte que é disponibilizado aos atletas do Ctara, com o objetivo de condicioná-los ao alto rendimento.

“Nós nos preocupamos em dar suporte aos atletas. Aqui eles recebem apoio multidisciplinar e acompanhamento médico com fisioterapeutas, massoterapeutas, psicólogos e nutricionistas. Com isso, podem alcançar resultados de excelência”, afirmou ele, destacando a nova página que vive o esporte amazonense, com importantes conquistas em diversas modalidades.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •