Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Internautas subiram a hashtag “#RecordLixo” no Twitter na manhã desta quarta (10) após a repercussão de uma cobertura jornalística realizada no programa Cidade Alerta por Luiz Bacci, 36, na terça-feira.

A reportagem conduzida pela repórter Luiza Zanchetta e pelo cinegrafista José Filho, que investigava um caso de assassinato em São Paulo, também informou aos familiares da vítima, Josivaldo, de que ela era agiota. Amanda, filha do homem morto, foi entrevistada ao vivo e criticou a emissora pela conduta “desrespeitosa” e “irresponsável”.

“Eu perdi meu pai hoje e não estou vendo um pingo de respeito aqui, vocês falando que ele é agiota, gente! Como assim, qual é essa informação? De onde vocês tiraram isso, por favor? Eu acho que vocês têm que ter um pingo de consideração”, relatou, aos prantos e tremendo.

Zanchetta tentou interromper a fala de Amanda dizendo que gostaria de focar no que era mais importante, descobrir quem tinha matado o seu pai. Nesse momento Bacci questionou a repórter sobre a checagem da informação e ela disse que embora a polícia ainda não tivesse confirmado, tinha “conversado bem” com os vizinhos de Josivaldo.

Bacci voltou atrás e se desculpou com a filha da vítima, que não retirou as críticas. “Amanda, eu entendo a sua dor. Nós chegamos agora aí. É claro que é o de menos se ele era ou não agiota”, afirmou o apresentador do Cidade Alerta, que também se desculpou com outra parente pela abordagem. “Nós vamos tratar como suspeito, como deve ser realmente, porque até que a polícia e a Justiça concluam se é agiota ou não, existe uma distância.”

Apesar da retratação ao vivo, telespectadores e internautas questionaram a atitude da Record. “Isso não merece ser chamado de jornalismo”, escreveu um usuário no Twitter.

Procurada nesta manhã, a Record ainda não se manifestou sobre o assunto. (Com F5)

Cidade Alerta chama vítima de “agiota” e filha detona programa


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •