Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Se já não bastasse a tristeza de perder inúmeras pessoas vítimas do covid-19, hoje uma família se despede do menino ‘Gustavinho’, vítima da violência que assola toda Manaus (AM). Jorge Gustavo Silva Santos, de 12 anos, foi baleado no dia 12 de Maio e na segunda-feira (18) não resistiu e faleceu.

Na tarde desta terça-feira (19), o carro da funerária passou pelo bairro da Compensa, onde ele morava, e amigos e familiares puderam prestar as últimas homenagens.

Com fogos de artifícios e balões brancos, moradores se reuniram em frente a igreja Assembleia de Deus, a qual Gustavo congregava e participava desde a infância, e puderam ouvir o pastor dar uma palavra de conforto a todos.

Entenda

Gustavinho, como era chamado, foi vítima de bala perdida no dia 12 de Maio, quando estava em frente a uma igreja na rua 21 de Junho, bairro da Compensa. O tiroteio se tratava de uma briga entre facções, na qual homens foram enviados ao local para matar Kevyn Pedrosa Alves, 23, vulgo ‘Kevinho’, que estava em uma banca que vende churrasco. Kevinho morreu, um homem de 28 anos levou um tiro no pé e Gustavinho foi atingido na cabeça, e foi levado ao Hospital.

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado do Amazonas (Susam), Gustavo chegou em estado gravíssimo e passou por uma cirurgia neurológica de três horas, fazendo-o perder massa encefálica e ter que ser internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Os familiares relatam que foram informados sobre a morte encefálica (morte cerebral) de Gustavo e acusam o hospital de desligar os aparelhos que o mantinham vivo, sem a autorização dos pais. Na segunda-feira (18), ele veio a óbito.

Amante da música

Através de registros em suas redes sociais, é possível ver vídeos em que Gustavinho toca teclado, violão e bateria.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •