Foto: Montagem Fato Amazônico/Facebook
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O processo seletivo para contrato temporário, realizado no domingo (26), pela Secretaria de Educação do Município de Humaitá (Semed-Humaitá), provocou uma enxurrada de comentários nada simpáticos nas redes sociais aos organizadores do certame.

Início das provas com atraso de mais de uma hora, conforme denúncia de candidatos da sala 4 do prédio da Ufam; e dupla informação nos cadernos de prova, são algumas, entre outras falhas atribuídas à organização do concurso.

O início das provas, segundo informações não oficiais, estava previsto para às 14 horas, mas, por causa de um pneu furado do carro que transportava os cadernos de prova, somente às 15h15 a turma da sala 4 começou a responder os respectivos quesitos.

Outra informação, também, não oficial, é com relação ao envelope com as provas. Eles teriam chegado abertos à sala 4. Além de abertos, todas as páginas dos respectivos cadernos estavam soltas e precisaram ser grampeadas.

A falta da relação com o nome dos candidatos da sala três, denunciada nas redes sociais, podem servir para dimensionar o tamanho da desorganização do concurso.

Tudo isso sem falar que em um só caderno (ver fac-símile) a prova para professor nível II podia ser de história ou de Língua Portuguesa.

 

 

 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •