Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Dos mais de 150 atendimentos registrados na 3ª edição do Balcão do Consumidor, 70% foram reclamações referentes a cobrança indevida nas contas de água e energia elétrica. A ação, promovida pela Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Amazonas (CDC/Aleam), foi realizada no conjunto Viver Melhor 4, Zona Norte de Manaus.

Com uma equipe formada por advogados e conciliadores, o Balcão ofertou serviços de orientação jurídica e abertura de reclamações relacionadas a questões consumeristas. A edição contou, ainda, com a presença de representantes da Amazonas Energia e da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman) e uma linha direta (WhatsApp) com a empresa Águas de Manaus. Com a participação dos pressupostos, foi possível realizar 35 audiências conciliatórias durante a ação.

“A maior demanda no Viver Melhor estava relacionada à cobrança indevida nas contas de luz e água. E a presença de pressupostos da Amazonas Energia, bem como de representantes da Ageman, e a linha direta com a Águas de Manaus foram fundamentais para que muitos problemas obtivessem solução imediata”, afirmou o presidente da CDC/Aleam, deputado estadual João Luiz (Republicanos).

Acostumada a pagar uma média de R$ 300 a R$ 400 de energia elétrica, uma conta no valor de R$ 1,2 mil fez com que a dona de casa Priscila Carneiro buscasse ajuda no Balcão no Consumidor.

“Em julho, me surpreendi com uma conta absurda de R$ 1,2 mil. Em casa, moramos apenas eu, meu marido e meu filho. Não tem como consumir tudo isso e muito menos condições de pagar esse valor. Mas consegui comprovar que houve um erro na leitura e o valor devido foi corrigido”, afirmou a dona de casa, que teve a conta retificada e terá de pagar o valor real de R$ 300.

Diante de uma conta de R$ 1.169 de água, a dona de casa Maria Socorro Rodrigues também buscou ajuda no Balcão. “Nosso apartamento está fechado e, vez ou outra, eu vou ao local para limpar e abrir as janelas. A conta mais cara que já paguei foi de R$ 70. Mas em fevereiro chegou essa dívida de mais de mil reais. Já fui até a empresa, mas eles não resolveram. Mas agora, a equipe irá fazer uma vistoria para verificar o que aconteceu e tenho certeza de que esse valor será corrigido”, afirmou.

Com a procuração da tia em mãos, a jornalista Rainete Sales viu na ação da CDC/Aleam uma grande oportunidade para quitar uma dívida de R$ 8 mil com a Amazonas Energia.

“Minha tia passou por alguns problemas e acumulou uma dívida de R$ 8 mil. A empresa me propôs um parcelamento com uma entrada de R$ 2 mil, mas, mesmo assim, minha tia não teria condições de arcar com esse pagamento. Mas ficou agendada para setembro uma audiência de conciliação, cuja proposta é oferecer 5% do total como entrada, desta forma, seria possível sanar o débito”, detalhou Rainete, ao afirmar que ficou muito satisfeita com o atendimento. “Tenho certeza de que vou conseguir resolver meu problema”, disse.

Durante o atendimento ofertado no Balcão do Consumidor, a CDC/Aleam segue todas as recomendações de segurança de saúde, como a exigência obrigatória do uso de máscaras, o distanciamento entre os participantes e a disponibilização de totem com álcool em gel à população.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •