Reprodução/Instagram - @danielcfreitas
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Descrito como “queimado pra caramba“ pelo presidente Jair Bolsonaro, o comandante nacional do PSL, Luciano Bivar, jantou na noite da terça-feira (8.out.2019) ao lado do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Os dois estavam num encontro de confraternização da bancada de congressistas do PSL no restaurante Lake’s, em Brasília.

O encontro com um dos ministros mais prestigiados do governo – Moro foi o único palaciano citado nominalmente por Bolsonaro durante seu discurso na Assembleia Geral da ONU– deu-se horas após Bivar se ver como alvo público de ataque do presidente.

Pela manhã, Bolsonaro cumprimentou um apoiador que o aguardava na saída do Palácio do Alvorada. O jovem disse ser pré-candidato do PSL no Recife (PE), no que ouviu do presidente a resposta: “Esqueça o PSL“. O apoiador insistiu no tema, exaltando uma aliança entre ele, Bolsonaro e Bivar. O presidente retrucou: “Cara… não divulga isso, não, cara. O cara [Bivar] está queimado para caramba lá. Vai queimar o meu filme também, entendeu? Esquece esse cara, esquece o partido”.

Moro não é o único ministro a ter compromisso com Bivar após este ter sido atacado por Bolsonaro. Na quarta- feira (9.out), o chefe da pasta da Educação, Abraham Weintraub, recebe o deputado em seu gabinete, às 15h30. Segundo consta na agenda do ministro, a audiência tem como tema o Programa de Escolas Cívico-Militares. ( Com o Poder 360)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •