Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A polícia boliviana prendeu nesta quarta-feira (20) o ministro da Saúde, Marcelo Navajas, como parte da investigação de uma compra superfaturada de 179 ventiladores pulmonares da Espanha. Os equipamentos seriam usados para tratar pacientes com Covid-19.

O coronel Iván Rojas, comandante da Força Especial de Luta Contra o Crime (FELCC), unidade da polícia da Bolívia, disse que Navajas “se encontra em qualidade de apreendido em uma das dependências da FELCC na cidade de La Paz”.

A prisão do ministro acontece um dia após a presidente interina da Bolívia, Jeanine Añez, ter ordenado a investigação da compra por “possível corrupção”. Outros dois funcionários do ministério também foram presos.

A compra dos 179 ventiladores foi feita com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Por isso, dois funcionários da organização foram convocados a prestar declarações.

A Bolívia adquiriu os equipamentos por um preço unitário de US$ 27.683 (R$ 157 mil). No entanto, foi descoberto logo depois que a empresa espanhola vende os ventiladores por preços entre US$ 10 mil e US$ 12 mil (R$ 57 mil e R$ 62 mil). Uma outra empresa, também da Espanha, intermediou a compra.

O escândalo veio à tona no último final de semana, quando médicos de cuidados intensivos denunciaram que as máquinas não eram adequadas para os hospitais bolivianos. Desde o início da pandemia, a Bolívia registrou 4.500 casos e 190 mortes em decorrência do novo coronavírus. As fronteiras do país estão fechadas desde o dia 17 de março. (AFP)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •