Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O presidente Jair Bolsonaro anunciou na manhã deste domingo (09/08) que o Brasil vai enviar ajuda humanitária às vítimas das explosões ocorridas em Beirute, capital do Líbano, na última terça-feira (04/08). A fala foi realizada em uma videoconferência internacional para tratar dos esforços de países do mundo para mitigar a tragédia, que contou com participação de presidentes como Donald Trump, dos EUA, e Emmanuel Macron, da França.

“Nos próximos dias partirá do Brasil rumo ao Líbano uma aeronave da Força Aérea Brasileira, com medicamentos e insumos básicos de saúde, reunidos pela comunidade libanesa radicada no Brasil. Também estamos preparando o envio, por via marítima, de 4 mil toneladas de arroz para atenuar as consequências das perdas de estoque de cereais destruídos na explosão”, prometeu o presidente brasileiro.

Bolsonaro ainda informou que o Governo Federal está tratando com o governo do Líbano o envio de uma equipe técnica multidisciplinar para colaborar na perícia das explosões. “Convidei como meu enviado especial e chefe dessa missão o senhor Michel Temer, filho de libaneses e ex-presidente do Brasil”, revelou.

Explosão no porto

A explosão, que ocorreu na terça-feira (04/08), deixou ao menos 154 mortes e mais de 5.000 feridos, além da destruição de bairros da capital, com prejuízo orçado em R$80 bilhões. Segundo o governo libanês, a explosão foi causada por 2.750 toneladas de nitrato de amônio armazenadas incorretamente em uma doca do porto.

“A causa ainda não está determinada. Há a possibilidade de uma interferência externa, por meio de um projétil, bomba ou outra ação”, disse o presidente do Líbano, Michel Aoun, em coletiva de imprensa na última sexta (07/08). (Metrópoles)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •