Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Brasil atingiu a marca das 100 mil mortes causadas pela covid-19 no dia 8 de agosto de 2020. Para quase metade dos brasileiros (47%), o presidente Jair Bolsonaro não tem nenhuma culpa no grande número de mortos. Com informações de Poder 300.

Pesquisa feita pelo Datafolha mostra ainda que 52% pensam que Bolsonaro tem alguma responsabilidade. Destes, 11% pensam que ele é o principal culpado. 41% acham que ele é 1 dos culpados.

Entre os que aprovam o governo Bolsonaro, 80% consideram que ele não é o responsável pelas mortes. Entre os que votaram nele no 2º turno em 2018, esse percentual é de 64%. Já no grupo que rejeita Bolsonaro (considera sua gestão ruim ou péssima), 86% acham que ele tem alguma responsabilidade nas mortes. Os que

A aprovação de Bolsonaro está neste momento no patamar mais elevado desde que seu governo começou, em janeiro de 2019. 37% dos brasileiros consideram o governo bom ou ótimo. A proporção de brasileiros que desaprovam o atual governo é de 34%. Os percentuais indicam que há empate técnico entre os grupos que aprovam e desaprovam Bolsonaro, dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais.

Os brasileiros mais ricos (que ganham mais de 10 salários mínimos mensais) são os que mais consideram Bolsonaro culpado pelas mortes: 61% acham que o presidente é o principal ou 1 dos principais responsáveis. Entre os brasileiros que ganham até 2 salários mínimos, 49% isentam Bolsonaro de qualquer culpa.

Para 49% dos entrevistados, o Brasil tem responsabilidade como 1 todo. Avaliam que o país não fez suficiente para conter a propagação do novo coronavírus. Os demais se dividem entre os que avaliam que foi feito o necessário para tentar evitar as mortes (24%) e os que pensam que nada poderia ter evitado a quantidade de vítimas (22%).

O Datafolha perguntou se os brasileiros sabiam quem era o ministro da Saúde. 88% não conseguiram responder que a pasta está sendo comandada interinamente pelo general Eduardo Pazuello. 10% disseram o nome correto e 2% citaram outra pessoa.

A pesquisa foi feita por telefone com 2.065 brasileiros adultos que têm celular, nos dias 11 e 12 de agosto.

O Brasil tem 3,278,895 casos confirmados de covid-19 e 106,571 mortes causadas pela doença. Bolsonaro tem sido criticado por causa do alto número e da atuação do governo federal durante a pandemia. O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que saiu do governo por divergências com o presidente, disse que a atitude de Bolsonaro contribuiu para o país atingir a quantia.

No dia 9 de agosto, 1 dia depois da marca dos 100 mil mortos, Bolsonaro fez uma série de postagens em suas redes sociais. Lamentou todas as vidas perdidas pela doença. Disse que não faltaram recursos, equipamentos e medicamentos para Estados e municípios. “Não se tem notícias, ou seriam raras, de filas em hospitais por falta de leitos UTIs ou respiradores”, escreveu.

O presidente ainda criticou a TV Globo pela cobertura do caso. Declarou que a emissora “só espalhou pânico na população e a discórdia entre Poderes”. No dia 8 de agosto, o Jornal Nacional divulgou editorial cobrando responsabilidade dos governos federal, estaduais e municipais.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •