Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Gazeta Esportiva – A expulsão do lateral-esquerdo Gilson, ainda no primeiro tempo da derrota de 2 a 0 para o Bahia, na noite de quarta-feira (25), foi a gota d’água para a diretoria do Botafogo organizar um protesto formal na Comissão Nacional de Árbitros da CBF. O presidente Nelson Mufarrej pediu a seus departamentos de futebol e jurídico para organizarem um dossiê que será entregue diretamente ao presidente da entidade, Rogério Caboclo, cobrando uma explicação formal sobre os constantes erros contra o Glorioso.

O Botafogo vai levar no material o lance da expulsão de Gilson neste jogo e também na derrota de 1 a 0 para o Santos, no sentido de provar que em nenhum dos lances o jogador cometeu a infração. O Alvinegro ainda vai recordar polêmicas como o uso do VAR na derrota de 1 a 0 para o Palmeiras.

Em relação ao jogo de quarta-feira, o Botafogo vai protestar contra o árbitro Flávio Rodrigues de Souza, do Rio Grande do Sul, e também contra a equipe do VAR presente no estádio da Fonte Nova, que era liderada pelo árbitro Thiago Duarte Peixoto, de São Paulo.

Dentro de campo, a delegação retornou da Bahia nesta quinta-feira e os jogadores foram liberados em seguida. Na sexta-feira começa a preparação para o duelo contra o Fortaleza, marcado para a próxima segunda-feira, às 20h (de Brasília), na Arena Castelão, em Fortaleza (CE), pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Para este duelo, Gilson será desfalque pois cumpre suspensão. Em compensação, o lateral-direito Fernando e o meia Luiz Fernando, que estavam suspensos contra os baianos, voltam a ficar à disposição do técnico Eduardo Barroca. O treino desta sexta-feira será na parte da tarde. Com 27 pontos conquistados, o Alvinegro perdeu a chance de tentar se aproximar do G-6, a zona de classificação para a próxima Copa Libertadores, e ainda teme ter que começar a se preocupar com o rebaixamento.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •