Além disso, a CBF falou sobre a inclusão do Fair Play Financeiro no campeonato e o plano de melhoria do árbitro de vídeo
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

METRÓPOLES – Uma reunião entre os dirigentes dos 20 clubes que participarão do Campeonato Brasileiro 2020 na sede da Confederação Brasileira de Futebol definiu algumas mudanças na competição. Entre elas, o fim das vendas de mando de campo, a inclusão do Fair Play Financeiro e o plano de melhoria do VAR. Confira:

Venda de mando de campo

O ato de vender o mando de campo foi vetado, tendo apenas um voto contra a decisão, do Flamengo. Isso significa que os times serão obrigados a mandar todos os 38 jogos do Brasileirão nos estádios dos seus estados.

Partidas no estádio Mané Garrincha, em Brasília, ou na Arena Amazônia, em Manaus, por exemplo, só acontecerão em situações extraordinárias e por motivo de força maior.

Inscrição de jogadores

O número de atletas inscritos por cada time diminuiu de 45 para 40. O prazo para a inclusão de nomes será para até 14 de agosto, podendo haver a troca de oito deles até 11 de setembro.

Grama sintética

A aprovação da utilização da relva artificial também consta no regulamento oficial da competição. Agora, além da Arena da Baixada, o campo do Athletico-PR, o Allianz Parque do Palmeiras, terá a grama sintética.

Fair Play Financeiro

O mecanismo de controle das finanças dos clubes faz parte de um conjunto de normas que a CBF incluiu em suas regras de licenciamento dos clubes. Porém, o Fair Play Financeiro será inserido no futebol brasileiro de forma gradual.

Segundo o presidente da entidade, Rogério Caboclo, a intenção é que as medidas sejam adotadas aos poucos pelos clubes, primeiro em caráter educativo. Eventuais punições por descumprimento ficarão apenas para o próximo ano.

Limite de troca de técnicos

Um dos pontos mais polêmicos da reunião entre os dirigentes e a entidade terminou desprezado de forma unânime. Os clubes rejeitaram a discussão por entenderem que se trataria de ingerência da CBF na administração interna.

Em 2020, ainda a pouco mais de dois meses para o início do torneio, cinco treinadores da Série A foram demitidos: Cristóvão Borges, do Atlético Goianiense; Rafael Dudamel, do Atlético-MG; Argel Fucks, do Ceará; Alberto Valentim, no Botafogo; e Guto Ferreira, do Sport.

VAR

O árbitro de vídeo será mantido em todos os jogos do Brasileirão, mas com algumas mudanças. Uma câmera extra será colocada na linha de impedimento. A ideia do presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba, de centralizar as imagens em uma sede única no Rio de Janeiro, ainda vai demorar.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •