Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro decidiu nesta quinta-feira, 3, arquivar o pedido de abertura de processo de impeachment contra o prefeito Mracelo Crivella.

Foram 47 votos, sendo 25 contra a abertura do processo e 22 a favor. Crivella foi acusado de improbidade administrativa por usar servidores comissionados para impedir o trabalho de jornalistas em unidades de saúde do Rio. 

A ação seria coordenada por meio de grupos em aplicativos de mensagens — o maior deles é batizado de “Guardiões do Crivella”.

Vereadores favoráveis ao impeachment falam em “formação de milícia” sobre os Guardiões do Crivella e usam termos como “capangas” e “jagunços” ao referirem-se aos profissionais investigados.

Na esfera criminal, o Ministério Público do Rio e a Polícia Civil investigam se houve participação de Crivella em crimes como associação criminosa, constrangimento ilegal, atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública e advocacia administrativa, com penas que podem chegar a nove anos de prisão.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •