Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os 35 anos de carreira musical do cantor e compositor mineiro José Evangelista Torres Filho, o “Torrinho”, foram homenageados, nesta quarta-feira (11), em uma Sessão Especial, na Câmara Municipal de Manaus (CMM), de propositura do vereador Waldemir José (PT). A sessão foi presidida pelo presidente da Casa Legislativa vereador Bosco Saraiva (PSDB).

Torrinho é o responsável pela musicalização do poema “Porto de Lenha”, de autoria do jornalista e imortal da Academia Amazonense de Letras, Aldísio Filgueiras. A música é considerada por alguns o “hino marginal” de Manaus.

Em seu discurso de agradecimento “Torrinho” lembrou a infância no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro – após a morte do pai a família se mudou de Belo Horizonte (BH), para a capital fluminense -, e a vinda da família para Manaus. Ele dedicou a homenagem à mãe, a costureira Cândida Maria de Brito Torres – falecida no ano passado -, e também ao pai, o militar do Exército Brasileiro José Evangelista Torres.

“Por várias vezes a produção local é deixada de lado, em segundo plano, apesar do material aqui produzido não deixar a desejar a nenhum outro”, observou o vereador Waldemir José, em seu discurso na tribuna.

Outros parlamentares como os vereadores Rosivaldo Cordovil (PTN), Professor Bibiano (PT) e Arlindo Júnior (Pros), além de destacarem a homenagem como justa, lamentaram a falta de mais políticas públicas na área cultural, seja no Estado ou no município, que incentivem não só a produção, mas também a divulgação do material produzido.

Tal postura também foi cobrada por Aldísio Filgueiras, durante o seu pronunciamento e do compositor e professor universitário Célio Cruz, que esteve presente à solenidade. “As políticas públicas devem sair daqui da Câmara e da Assembleia (Assembleia Legislativa do Estado). A Câmara Municipal deve estar alerta para o que ocorre em Manaus”, frisou Aldísio. Segundo Célio Cruz, a Casa Legislativa deve defender a cultura local, pois a mesma gera empregos e pode gerar recursos ao Estado, como ocorre em várias partes do mundo.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •