Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A população amazonense foi surpreendida nos últimos meses com o aumento dos preços do cimento e tijolo nas lojas de materiais de construção durante a pandemia do novo coronavírus. Para cobrar atuação do poder público, o deputado estadual Carlinhos Bessa (PV) solicitou ao Programa Estadual de Proteção e Orientação ao Consumidor (Procon) e à Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) uma posição contra esse aumento que ele considera ‘abusivo’.

Bessa destaca que na pandemia, houve um aumento abusivo preços de materiais de construção. “De acordo com pesquisas de mercado, houve um aumento injustificável no valor desses materiais. O valor do saco do cimento variou de R$ 29 a R$ 42. Mesmo no isolamento, houve um crescimento nessa demanda já que muita gente aproveitou para fazer pequenas reformas domésticas”, explicou o parlamentar.

O deputado ainda diz que é de competência dos órgãos fiscalizadores tomarem medidas punitivas. “Aos órgãos de defesa do consumidor compete averiguar e certificar os motivos do reajuste, a abusividade na precificação de produtos, punindo estabelecimentos que buscam auferir lucros extraordinários durante o estado de calamidade púbica”, finalizou.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •