Foto: Alexandre Linhares
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O deputado estadual Carlinhos Bessa (PV) usou a Tribuna do Plenário Ruy Araújo da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) nesta semana, para destacar a exportação da farinha tipo ‘ovinha’, produzida em Tefé, para países da Europa, Ásia e outros estados brasileiros.

“Com a exportação de 6 toneladas por mês e 72 toneladas anualmente, o município de Tefé tem oportunidade de crescimento e a garantia da sobrevivência de muitas famílias. Ressalto a importância de investimentos por parte do Governo do Estado para a produção rural dos municípios do interior. A expansão da exportação para outros países mostra o potencial que temos de gerar emprego e renda no interior”, ressaltou Bessa.

O parlamentar cobrou, ainda, a melhoria de estradas, ramais e vicinais que servem de escoação da produção rural. “As estradas precisam de recapeamento asfáltico para que os produtores tenham condições de escoar o que produzem. A estrada da Emade, em Tefé, é exemplo da falta de incentivo do Governo. Com 14 comunidades rurais, a precária situação da estrada gera prejuízo de até R$ 5 mil por dia aos produtores rurais que exportam farinha e frutas”, enfatizou o deputado.

Farinha tipo ‘ovinha’

A farinha do tipo ovinha é produzida por produtores da Cooperativa Agroextrativista Mista dos Produtores Rurais de Nova Sião do Município de Tefé (Coopagens) e será exportada para Portugal, Japão, China e outros estados brasileiros. A Coopagens funciona no Lago do Mirini, na zona rural do município de Tefé.

Financiamento da produção rural

Por meio do Requerimento nº 307/2019, de autoria do deputado estadual Carlinhos Bessa (PV) a Agencia de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) destinará R$ 667 mil (seiscentos e sessenta e sete mil reais) para financiamento do setor primário no município de Tefé. Para o deputado, o crédito concedido aos produtores rurais garante geração de emprego e renda. “É necessário investir no setor primário e nos pequenos produtores. Com a exploração de suas terras, eles geram renda para a família e emprego na região em que produzem. O que faltam são incentivos”, ressaltou Bessa.

Para ter acesso a linha de crédito, o produtor rural deve procurar o escritório do IDAM no município, realizar o cadastro de produtor rural e elaborar o projeto técnico para AFEAM e aguardar a análise da contratação.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •