Foto: Érico Xavier
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O consumo abusivo de álcool mata mais de três milhões de pessoas por ano, e uma em cada 20 mortes está relacionada com o consumo de bebidas alcoólicas. Entre jovens de 20 a 29 anos a taxa alcança 13,5%, segundo dados do “Relatório Global sobre Álcool e Saúde”, publicado em 2018 pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Com o intuito de contribuir para redução desse índice no Amazonas, universitários produziram uma cartilha educacional sobre o alcoolismo, com informações sobre o consumo de álcool no Brasil, prevenção e efeitos negativos do excesso da bebida na vida das pessoas.

A cartilha educativa se destina a jovens universitários que em qualquer momento da graduação podem vir a experimentar bebidas alcoólicas e desenvolver hábitos em níveis nocivos. Diante disso, o material vem para contribuir com mais informações sobre o tema, estimular estudos, debates e reflexões, principalmente entre jovens e estudantes.

O projeto “Construção e validação de cartilha educacional sobre alcoolismo para estudantes universitários” foi desenvolvido pela graduanda Rafaela Oliveira, que cursa o 7º período de Medicina na Universidade Estado do Amazonas (UEA), sob a orientação da professora doutora Elizabeth Texeira. O trabalho teve apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), por meio do Programa de Apoio à Iniciação Científica (Paic).

Rafaela Oliveira e a professora doutora Elizabeth Texeira. Foto: Érico Xavier

De acordo com dados contidos na cartilha, 19% dos universitários brasileiros já experimentaram algum tipo de bebida alcoólica. Dentre esses, 22% estão em risco de dependência.

Pesquisa – Para elaboração do material, foi  aplicado um estudo com 91 estudantes dos cursos de Medicina, Odontologia, Enfermagem e Educação Física da UEA, por meio de Tecnologias Educacionais (TE), uma metodologia importante para mediar práticas educativas com diversos públicos sobre diferentes assuntos, incluindo a prevenção do alcoolismo e a promoção do autocuidado entre universitários.

Rafaela Oliveira explica que o estudo trouxe a reflexão sobre o assunto entre professores e pesquisadores não apenas da UEA, mas de outras instituições. “Os estudantes que participaram leram e contribuíram com a construção da cartilha. O projeto possibilitou que os estudantes bolsistas se apropriassem da metodologia da pesquisa de validação de TE. Também fortaleceu a área de pesquisas sobre TE na UEA, que resultou uma linha de pesquisa do Programa de Mestrado Profissional em Enfermagem de Saúde Pública (Proensp-UEA)”, disse.

Segundo a professora Elizabeth Texeira, para a pesquisa foi feita a observação de comportamentos e escuta de relatos sobre situações resultantes do uso abusivo de álcool entre estudantes. A iniciativa partiu do professor Darlisom Sousa Ferreira, autor do projeto pioneiro na UEA, que está em sua quarta etapa.

“Foram realizadas quatro pesquisas, todas de iniciação científica. A primeira foi uma pesquisa na literatura científica, que gerou a primeira versão da cartilha. A segunda e a terceira etapa foram pesquisas de validação com juízes-especialistas (especialistas do campo da saúde)”, explicou a orientadora.

“A quarta e última foi também pesquisa de validação, mas com o público-alvo da cartilha, os estudantes universitários. Também foram analisadas as sugestões propostas pelos participantes, acarretando em mudanças principalmente na estética, além da diminuição do número de páginas e utilização de linguagem mais formal. Dessa forma, validou-se a tecnologia com o respectivo público-alvo, habilitando o material para registro de autoria e posterior publicação e divulgação”, concluiu.

Programa – O Paic apoia, com recursos financeiros e bolsas institucionais, estudantes de graduação interessados no desenvolvimento de pesquisa em instituições públicas e privadas do Amazonas.

Com informações de Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •