Átila Lins, Bosco Saraiva, Capitão Alberto Neto, Delegado Pablo e Silas Câmara, votaram sim. Foto: Montagem Fato Amazônico
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, 01°, o projeto que estabelece um novo marco regulatório para o setor de gás natural.

O texto muda o regime de exploração de gasodutos no Brasil, que passará de concessão para autorização.

Foram 351 votos a favor do relatório do deputado Laércio Oliveira (PP-SE) e 101 contrários.

Dos oito deputados da bancada amazonense, Átila Lins (PP), Bosco Saraiva (Solidariedade), Capitão Alberto Neto (Republicanos), Delegado Pablo (PSL) e Silas Câmara (Republicanos), disseram sim para o novo marco regulatório para o setor de gás natural.

José Ricardo seguiu a orientação do PT e votou contra. Marcelo Ramos (PL) e Sidney Leite (PSD) estavam ausentes e não participaram da votação da proposta que, também, quebra o monopólio dos estados na distribuição do gás natural. O projeto ainda vai passar por votação no Senado Federal.

De acordo com o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Josué,  a nova lei vai elevar a renda média do trabalhador, diminuir a pobreza e o custo do gás, elevar o ganho de royalties, além de possibilitar o aumento da oferta e redução do custo do produto e atrair investimentos de mais de R$ 43 bilhões para o Brasil nos próximos anos.

“A Assembleia Legislativa do Amazonas está esperando uma nova lei do gás do Governo do Amazonas. Temos que quebrar o monópolio do gás para atrair multinacionais e empresas nacionais”, disse Josué.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •