Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Educadores de 21 Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis), da Prefeitura de Manaus, participaram na tarde de quarta-feira, 4/9, da terceira e quarta formação do projeto “Sonhar, planejar, alcançar: Fortalecimento Financeiro para Famílias”. O evento foi realizado no auditório da Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM), da Secretaria Municipal de Educação (Semed), no Parque 10 de Novembro, zona Centro-Sul.

O projeto é uma parceria da prefeitura, por meio da Semed, e a Vila Sésamo, com apoio da MetLife Foundation, e trabalha na rede municipal de ensino com aproximadamente 4,9 mil crianças de 3 a 5 anos, e 200 professores. O objetivo é promover uma mudança de comportamento em crianças e seus familiares, contribuir para uma nova geração de pessoas que saibam consumir de forma consciente.

“Este projeto já está desde 2017 na Semed e todos os anos temos 20 escolas, e este ano estamos com 21 unidades. As escolas se preparam para ter essa educação financeira e saber usar o dinheiro adequadamente. Nesse encontro, os profissionais receberam orientações que darão respaldo maior para o sonho que será realizado com o recurso que também vem desse projeto”, explicou a assessora da Divisão de Educação Infantil (DEI), Rosana Dutra.

O projeto é de alcance mundial e em 2019 está sendo trabalhado em outras quatro capitais, além de Manaus: Belo Horizonte (MG), Recife (PE), Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ). De acordo com a coordenadora do projeto em Manaus, Vera Lúcia Oliveira, neste último encontro, além do legado deixado para as famílias no quesito da educação financeira, foi discutido o sonho, que é alguma benfeitoria realizada na escola.

“É um projeto que visa fortalecer financeiramente as famílias e as escolas, um trabalho integrado entre família e escola. O projeto é baseado em três pilares: sonhar, planejar e alcançar. Hoje estamos finalizando o quarto encontro onde vamos falar sobre o sonho, que é algo que fique para a escola, como a reforma de uma sala, a compra de algum bem que venha a ajudar futuramente”, informou Vera.

Para a gestora do Cmei Moacir Andrade, Carolina Pinheiro, a chegada do projeto na escola pode aproximar mais os pais, que aceitaram muito bema iniciativa. “Tem sido maravilhoso e benéfico para nossa escola. Quando começamos a trabalhar com os pais, por meio de formações e reuniões eles começaram a entender que o projeto veio para somar e abrir um pouco a mente das famílias dos nossos alunos e as nossas também, porque é um projeto que trabalha com educação financeira”, finalizou Carolina.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •