Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O período de 30 dias para que os parlamentares municipais saíssem de seus partidos originais e fossem para uma nova legenda para concorrer às eleições municipais deste ano, conhecido como janela partidária, encerrou na última sexta-feira (3). Só sábado (4), porém, no último dia de filiações para pretensos candidatos, alguns bateram o martelo sobre os novos destinos. Com o troca-troca partidário, as bancadas na Câmara Municipal de Manaus sofrem alterações.

Aproveitaram a janela para mudar de partido 26 vereadores, outros 15 revolveram permanecer em suas legendas.

O PSDB, do prefeito Arthur Neto, perdeu a presidência da CMM com a ida do atual presidente, vereador Joelson Silva para o Patriotas, mas os tucanos dobraram a representação na Câmara e agora tem o maior número de representantes no Legislativo Municipal, seis parlamentares são eles, Rosivaldo Cordovil, Dante Souza, Elias Emanuel, Raulzinho, Coronel Gilvandro Mota e Ceará do Santa Etelvina.

Dois partidos aumentaram suas fileiras na Câmara Municipal. É o caso do PL, do ex-deputado Alfredo Nascimento, com quatro vereadores na bancada, Glória Carrete, Bentes Papinha, Professor Samuel e Missionário André. O PMN, hoje comandado pelo empresário Orsine Oliveira Júnior, conta também com quatro parlamentares, Mauro Teixeira, Rosinaldo Bual, Elói Abreu e Cláudio Proença.

Deste modo, o PL e o PMN, configuram como as duas segundas maiores bancadas na Câmara.

O Avante, comando pelo ex-deputado estadual David Almeida, que não tinha representantes na Câmara conta hoje com dois parlamentares Alonso Oliveira e David Reis. O pré-candidato à Prefeitura de Manaus, em seu arco de aliança tem ainda Wallace Oliveira, que deixou o Podemos e foi para o Pros.

O arco de aliança de Amazonino Mendes, pré-candidato à Prefeitura de Manaus, cresceu na CMM, conta com 7 parlamentares, 4 do PMN e 3 do Podemos integrado hoje por Marcel Alexandre, Professora Jaqueline e Roberto Sabino.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •