Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O atacante Neymar está com bem menos dores do que estava neste sábado, dia seguinte à lesão sofrida na vértebra L3 que o tirou da disputa da Copa do Mundo 2014, em lance com o colombiano Zuñiga no fim da vitória do Brasil por 2 a 1 contra a Colômbia. O jogador tem convivido de perto com o fisioterapeuta Rafael Nardini, do Santos, e conversado com médicos, amigos e familiares. Foi discutida a possibilidade até de tratamento especial que o possibilite atuar em uma eventual final, mas a ideia ainda é "um sonho" do jogador. A CBF rechaçou a hipótese.

"Nenhuma chance de ele jogar a final da Copa do Mundo. Ele pode estar com o grupo até, isso sim, mas em campo nenhuma chance. Não tem como", disse ao ESPN.com.br o médico da CBF, o doutor José Luiz Runco. A reportagem confirmou com fontes ligadas ao caso de que foi discutida a ideia de se realizarem tratamentos alternativos para aliviar a dor de Neymar, em matéria divulgada inicialmente pelo site Globoesporte.com. Contudo, tudo depende de como o atleta vai reagir à lesão nos próximos dias;

Hoje, chance de Neymar jogar na final é nula. E deve continuar sendo nos próximos dias, já que a previsão de recuperação varia entre quatro e seis semanas. Mas nada impede o jogador de sonhar em estar na final da Copa do Mundo e, para isso, ele estaria disposto a recorrer a outros meios que não os remédios tradicionais. Segundo fontes ligadas ao camisa 11, o jogador tem dito aos amigos mais próximos de que a dor diminuiu bastante, apesar de ainda ser grande, e por isso ele acha possível ficar bom até a partida.

O atleta esteve com o médico Maurício Zenaide, do Santos, neste sábado para uma breve avaliação. "Ele está bem, não tem exame nenhum com ele, está bem melhor, melhorou a dor, está andando, dor bem menor. ele vai melhorar. O fator quantidade de coisas que não consegue fazer vai determinar o retorno dele aos gramados. E isso é mais do que 10, 15 dias, mas acho que a CBF vai com certeza reavaliar e conversar", disse à reportagem Rodrigo Zogaib, outro médico do time santista que conversou com o colega sobre o encontro.

"Nos primeiros dois, três dias dói a fratura, depois o hematoma fica irritando, se não for muito grande consegue fazer bem o movimento de quadril. Alguns dados de exames devem ser feitos de novo e devem dar mais dados para ter essa avaliação que será feita novamente", explicou o médico, dando detalhes de como é feito o tratamento para recuperação de Neymar.

O Brasil encara a Alemanha na próxima terça-feira, em Belo Horizonte, em busca de uma vaga na decisão do Mundial. Caso passe, encara no domingo o vencedor de Argentina e Holanda. Neymar vai esperar até quarta-feira para ver como reage à lesão e decidir se o sonho ainda impossível de atuar na decisão pode, de fato, ser realidade. "A chance é zero", finalizou à reportagem o médico da CBF, José Luiz Runco.

Fonte ESPN


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •