Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Ainda sem saber quando o futebol brasileiro estará de volta aos gramados, o torcedor pode matar a saudade (ou pelo menos tentar) de alguns jogadores, que participarão de um campeonato de futebol online. A partir de quinta-feira, o canal SporTV vai transmitir o FC: Futebol de Casa, um torneio de futebol online com seis jogadores que disputam o Campeonato Brasileiro. Gabigol (Flamengo) e Antony (São Paulo) estão entre as atrações e o narrador Everaldo Marques será o responsável por comandar a atração.

O torneio tem até tabela e confrontos diretos pela classificação. Não é apenas uma brincadeira de boleiros. O primeiro jogo será entre o zagueiro Bruno Fuchs, do Inter, e o atacante Antony, do São Paulo (veja a tabela completa abaixo). As partidas serão realizadas nas quintas e sextas-feiras, às 17h30, e terão transmissão da SporTV.

A competição contará com seis jogadores, divididos em dois grupos de três times cada. No Grupo A, estão Fuchs, Antony e Gabigol, do Flamengo. Já o Grupo B conta com o lateral-direito Guga (Atlético-MG), o atacante Soteldo (Santos) e o atacante Talles Magno (Vasco). Avançam os dois primeiros de cada grupo, que fazem a semifinal e depois os dois vencedores decidem o título. 

TABELA DO CAMPEONATO

Quinta-feira, dia 14

  • 17h30 – Bruno Fuchs (Internacional) x Antony (São Paulo)
  • Guga (Atlético-MG) x Soteldo (Santos)
  • Gabigol (Flamengo) x Bruno Fuchs (Internacional)

Sexta-feira, dia 15

  • 17h30 – Antony (São Paulo) x Gabigol (Flamengo)
  • Guga (Atlético-MG) x Talles Magno (Vasco)
  • Talles Magno (Vasco) x Soteldo (Santos)

Sábado, dia 16

  • 16h30 – Semifinal 1
  • a seguir – Semifinal 2
  • a seguir – Final

Em entrevista ao Estado, o narrador Everaldo Marques comenta sobre o desafio que é narrar um jogo online e como será a comunicação com os atletas. 

Você já narrou praticamente de tudo. Qual é a grande diferença de um jogo de videogame para um jogo real?

A grande diferença é o dinamismo. O jogo de futebol no videogame é extremamente dinâmico, tem sempre alguma coisa acontecendo e a gente precisa ficar ligado para não perder nenhum lance. Esse projeto do ‘FC: Futebol de Casa’ é legal porque tem um componente diferente, que é poder interagir com jogadores. Conseguimos conversar e brincar com as reações deles enquanto a bola está rolando. Com certeza vai gerar um conteúdo divertido para quem estiver assistindo em casa.

Como vê o crescimento do eSports no Brasil?

A indústria dos videogames é gigante no mundo inteiro e no Brasil também não para de crescer. São milhões de pessoas que se divertem jogando. Eu mesmo tenho um filho de 8 anos que adora. É uma diversão para todas as idades e que ganhou ainda mais importância agora, nesses tempos de isolamento social. Como as pessoas precisam ficar em casa, elas recorrem às coisas que têm para se divertir, como filmes e séries, e o videogame se insere neste cenário.

O que você espera de uma narração de um jogo de videogame? Pelo menos, nenhum jogador ficará triste se você o criticar, né?

Como eu disse, na narração dos jogos de videogame você precisa estar ligado o tempo todo, para não perder nenhum lance, porque tem muita coisa acontecendo o tempo todo. Sobre os jogadores me criticarem, depende. Quando a gente faz uma transmissão de futebol real, o jogador não tem como acompanhar a narração, já durante os jogos do ‘FC: Futebol de Casa’, os jogadores estarão ouvindo e interagindo com tudo. Tem que tomar cuidado para não ‘cornetar’ muito pesado, senão o boleiro pode ficar meio bravo.

Haverá algum tipo de preparação ou treinamento para uma narração tão peculiar ou fará tudo no improviso?

Fizemos alguns pilotos, sem a participação dos jogadores, para acertar a parte técnica, e acabei aproveitando para ir treinando as narrações. Recentemente fiz, com o Caio Ribeiro nos comentários, a transmissão de uma final entre Brasil e Argentina em outro torneio de futebol eletrônico. Foi bem legal. Teve até Gol de Ouro do Everton Ribeiro em cima do Aguero, então já não saio do zero, não estou estreando nos eSports. Estive nesta transmissão, fora os treinos durante os pilotos ao longo da preparação do ‘FC: Futebol de Casa’.

Narrar jogos de videogame é uma forma de “matar a saudade” dos jogos reais ou não tem nada a ver?

É sim uma forma de matar a saudade, porque narro as defesas, os chutes, os lances de perigo, os gols, do mesmo jeito que narraria um jogo de futebol de verdade. Me transportei para dentro do jogo virtual como se fosse uma partida real. O mesmo empenho que tenho nos jogos de verdade estou tendo para os jogos eletrônicos.

Os times serão comandados por jogadores profissionais. Há uma preocupação para não “tirar muito sarro” de um determinado time ou de uma jogada e isso ser interpretado como um menosprezo ao jogador da vida real?

Desta vez os jogadores acompanharão em tempo real tudo o que a gente falar na narração. No jogo de futebol real, eles não nos escutam. Vou tentar interagir com eles, e o comentarista também vai dar dicas para que consigam um desempenho ainda melhor. Essa parte da zoeira, da brincadeira, vai partir também deles, com zoação e provocação dos dois lados. Vai ficar bem divertido para quem estiver em casa.

Você gosta de jogar videogame? Se gosta, qual seu time preferido no jogo?

Jogo bastante com o meu filho. Sobre o time, não tenho um preferido, tudo depende do dia. Gosto de um duelo com times do futebol nacional e às vezes ter a chance de jogar com craques como Messi, Cristiano Ronaldo, Coutinho ou Firmino, que são os jogadores favoritos do meu filho. (Estadão)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •