Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Metrópoles | O professor de filosofia online e guru da família Bolsonaro, Olavo de Carvalho, afirmou que as palavras do presidente Jair Bolsonaro (PSL) sobre Fernando Santa Cruz, pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz e morto durante a ditadura, não é uma ofensa “em nenhum louvor”. O escritor acrescentou ainda que Felipe tem usado a situação para “explorar o analfabetismo funcional das pessoas”.

“O pessoal está fazendo um ‘bafafá’ dos diabos, dizendo que o Bolsonaro ofendeu gravemente a memória do pai do Felipe porque disse que ele foi assassinado não pelas autoridades policiais e sim por membros da sua própria organização política”, iniciou a explicação, Olavo de Carvalho, durante vídeo postado nesta terça-feira (30/07).

O líder do Executivo disse, nessa segunda-feira (29/07), que sabe como o pai do atual presidente da OAB desapareceu. Mais tarde, Bolsonaro se explicou durante uma live e afirmou que Fernando Santa Cruz foi morto pelo “grupo terrorista” Ação Popular do Rio de Janeiro e não pelos militares.

“O que o Bolsonaro disse é uma afirmação factual e pode ser discutida no plano da veracidade e falsidade, mas não pode ser julgada moralmente porque não é uma afirmativa moral. “Não é uma ofensa em nenhum louvor”, complementou.

Em seguida, destacou a atenção que a mídia tem dado ao assunto e perguntou, ironicamente, se as pessoas não sabem mais ler. “Agora todo mundo está dizendo que isso é ofensivo ao pai do Felipe. Vocês não sabem mais ler? Vocês não sabem distinguir uma afirmação factual de um juízo moral?”, questionou.

Ainda durante o vídeo, Olavo acusa Felipe de explorar o analfabetismo funcional do público. “O próprio Felipe talvez não seja um analfabeto funcional, mas ele está explorando o analfabetismo funcional do outro”, acusou. Segundo o escritor, a direita brasileira não contestou porque caiu no jogo da esquerda que se faz de “coitadinha”.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •