Deputada Alessandra Campêlo, presidente da Comissão da Mulher da Aleam
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na terça-feira (1º), a vice-presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputada Alessandra Campêlo (MDB), utilizou a tribuna da Casa para falar sobre mais um caso de feminicídio ocorrido no Amazonas. Desta vez, a vítima foi a merendeira Jacira Souza de Lima, de 32 anos, morta a facadas na madrugada desta segunda-feira (31). 

O crime ocorreu no município de Careiro Castanho (distante 88 km em linha reta da Capital), e o marido, que até o momento permanece foragido, é o principal suspeito. Jacira foi assassinada no último dia da campanha Agosto Lilás, que tem como objetivo combater a violência contra a mulher.  Na tribuna, a parlamentar lamentou o número de feminicídios que ocorrem no Amazonas.

 “Quase todo mês, subo à tribuna para relatar casos de agressão e feminicídio. Ontem, uma mulher jovem foi morta com mais de 30 facadas pelo próprio companheiro. Ela era vítima de agressão e não denunciava por medo de ser morta. Muitas mulheres não denunciam a violência pelo mesmo motivo. Antes da agressão física, muitas vivenciam a violência psicológica, que oprime e destrói a autoestima, fazendo com que se sintam dependentes dos companheiros”, disse. 

Presidente da Comissão da Mulher da Aleam, a deputada afirmou que, assim como nos casos de Kimberly Mota e Lorena Baptista, ambas mortas por ex-companheiros, vai acompanhar os desdobramentos desse caso para que seja feita justiça por Jacira. 

 “Eu e a Comissão da Mulher vamos acompanhar mais este caso, inclusive quando ele chegar ao tribunal do júri. O suspeito ainda está foragido, mas a delegada geral da Polícia Civil do Amazonas, Emília Ferraz, já garantiu que é prioridade achá-lo e prendê-lo para que pague pelo crime que cometeu. A cadeia é a morada dos covardes”, concluiu.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •