Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Comitê Local Pró-Copa identificou 18 casos de exploração da mão de obra infanto-juvenil (dez crianças e oito adolescentes). Os dados são resultados parciais e computados desde às 18h de sexta-feira, 28, até às 6h deste domingo, 2, – após o encerramento do desfile das Escolas de Samba do Grupo Especial de Manaus.

O controle dos dados ocorre por meio da Central de Plantão do Comitê, inaugurada na sexta-feira, 28, e instalado estrategicamente durante o carnaval no Centro de Convivência da Família Maria de Miranda Leão, na rua Loris Cordovil, Alvorada 1, zona Centro-Oeste de Manaus. É na Central que todos os casos encontrados pelas equipes de rua ganham a orientação e destinação correta.

Foram registrados ainda no mesmo período quatro casos de crianças desacompanhadas (sendo uma de sete anos, encontrada em situação de mendicância), além de 28 pais terem sido advertidos por estarem com crianças com menos de cinco anos em bandas de carnaval e no sambódromo. O Comitê registrou também dois casos de adolescentes com suspeita de exploração sexual. Todas as situações encontradas foram registradas para acompanhamento futuro. As crianças e adolescentes encontrados foram levados até seus familiares ou responsáveis imediatamente após o atendimento, quando possível. Quando não, foram encaminhados ao Serviço de Acolhimento Institucional (SAI) de Crianças e Adolescentes da Prefeitura de Manaus.

A Central de Plantão funcionará até o dia 4 de março, em turnos de seis horas. No local, atuarão as equipes fixas do Comitê Pró-Copa, que receberão os casos de vulnerabilidade social e violação de direitos humanos encontrados pelas equipes de rua, atuantes em todas as zonas da cidade e pela equipe de apoio que atuará dentro e no entorno do sambódromo. As equipes são compostas por psicólogos, assistentes sociais e abordadores sociais que participaram da capacitação promovida pelo comitê na ultima quinta-feira, 27. São servidores municipais e estaduais e representantes de entidades da sociedade civil organizada, que atuam na defesa dos direitos humanos e na assistência social, além de voluntários. O trabalho das equipes começou logo após a inauguração da Central de Plantão, na sexta-feira, 28, com a saída das equipes volantes para suas respectivas zonas de atuação.

A secretária municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh), Goreth Garcia Ribeiro, lembrou que o comitê apresenta ações de conscientização à população e de fiscalização e combate à exploração sexual e ao trabalho infanto-juvenil. “O grande trunfo deste Comitê é a articulação de todas estas forças trabalhando juntas no fortalecimento de uma rede que garanta a proteção de direitos. A partir da nossa ação durante o carnaval, vamos nos preparar para desenvolvermos ainda mais esta rede, para que em todos os grandes eventos atuemos de forma articulada, principalmente na Copa do Mundo. Esse é o pontapé de uma partida na qual faremos muitos gols”.

Os trabalhos da equipe local estão ainda integrados à campanha nacional de combate à exploração sexual e ao trabalho infantil durante o carnaval, que tem como tema “Não desvie o Olhar. Fique Atento. Denuncie”. A campanha em Manaus é coordenada pela Semasdh.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •