Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) deve julgar nesta terça-feira (8) um processo disciplinar contra Deltan Dallagnol, agora ex-coordenador da força tarefa da Lava-Jato em Curitiba. Trata-se de uma ação do senador Renan Calheiros. Ele pode ser condenado no máximo à pena de censura, que, nas palavras de um integrante do órgão, equivale a um “puxão de orelha”. Na prática, essa pena, se aplicada, pode atrasar sua progressão na carreira, ou servir como agravante em futuros julgamentos no CNMP, onde Deltan enfrenta outros processos, informa O Globo.

Renan Calheiros (MDB-AL) acusa Dallagnol de ter feito campanha no Twitter em 2019 para atacar sua imagem e influenciar na eleição da presidência do Senado. Na queixa, Renan reclamou de mensagem compartilhada pelo procurador, na qual ele dizia que Renan, se eleito, dificultaria o combate à corrupção. O senador acabou perdendo a disputa pelo comando do Senado para Davi Alcolumbre (DEM-AP).

O processo não havia sido incluído na pauta porque até a semana passada estava valendo uma decisão do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendendo a análise do caso. No fim de semana, porém, outra decisão, dessa vez de Gilmar Mendes, liberou a realização do julgamento. Ele levou em conta o argumento do conselheiro Otavio Luiz Rodrigues Júnior, do CNMP, segundo o qual o caso prescreveria na quinta-feira desta semana, se não julgado. O mais provável é que, com a decisão de Gilmar, o CNMP realize o julgamento na manhã desta terça-feira.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •