O advogado Cláudio Dalledone Júnior, de Gustavo Sotero, entrou com pedido de anulação da lista de jurados atual
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Pelo menos nos primeiros dois meses que sucederam a morte do advogado Wilson Justo Filho, vítima de um tiro disparado pelo delegado Gustavo Sotero, no dia 25 de novembro de 2017, na casa noturna Porão do Alemão, aqueceu não só o noticiário policial local mas, também, o nacional.

De lá para cá, pra não dizer que o assunto evaporou, arrefeceu, murchou como balão.

Agora, com data marcada para ser levado à júri popular, o “crime do Porão do Alemão” promete voltar a crista da onda a começa pelas declarações do advogado de Sotero que, segundo informação publicada no Blog da Rosiene Carvalho, chegou a Manaus pondo lenha na fogueira.

De acordo com declarações do polêmico advogado, Cláudio Dalledone Júnior, publicadas no Blog, o álibi apresentado pelos advogados de Wilson Justo filho foram “orquestradas” por um “poderoso” grupo de advogados que atua na direção da Ordem dos Advogados do Brasil no Amazonas ( OAB-AM).

Caramba! Só faltou chamar a OAB e seus integrantes de “covil de bandidos”.

Isso foi só para começar, porque logo  adiante, Cláudio Dalledone Júnior aponta sua artilharia pesada na direção da proba OAB e dispara:

“Na visão da OAB, a diferença entre quem morre e mata depende da ligação política da pessoa”.

E para que ninguém diga que é leviano ou o acuse de falar pelos cotovelos, Cláudio Dalledone Júnior usou o não menos polêmico assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues, encontrado morto depois de participar de uma festa na casa de Alejandro Valeiko,  enteado do prefeito Arthur Neto (PSDB), no dia 29/09, para sustentar suas acusações.

“Vejo o mesmo bloco (OAB) defendo Alejandro, invocando as possíveis, impossíveis e as improváveis garantias. Que história é essa”? indaga.

Segundo o Blog, o presidente da OAB-AM, Marco Aurélio Choy, diz que o advogado Cláudio Dalledone ataca a Ordem e a  vítima como tentativa de desviar o foco do crime do cliente dele.

Terça-feira, 29, o delegado Sotero será levado à júri popular.

Júri de delegado acusado de matar advogado no Porão do Alemão começa na terça-feira, dia 29


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •