Cuba. (Photo by Alexander Kunze on Unsplash)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Gospel Prime | Na semana passada o Departamento de Estado dos Estados Unidos realizou um grande evento sobre liberdade religiosa, mas quatro pastores cubanos foram impedidos de participarem do evento pelo governo de Cuba.

Os líderes evangélicos Moisés de Prada, presidente das Assembléias de Deus em Cuba; Alida Leon Baez, chefe da Liga Evangélica Cubana; Rev. Dariel Llanes, presidente da Convenção Batista Ocidental de Cuba; e Toledano Valiente, do Movimento Apostólico de Cuba, foram detidos por funcionários do governo antes de poder embarcar em aviões com destino aos EUA em 13 de julho e 14 de julho.

A informação foi dada pela Comissão dos EUA sobre Liberdade Religiosa Internacional que confirmou à imprensa que esses líderes evangélicos foram convidados para participarem do evento que atraiu representantes de 100 países.

Conforme citou o site Christian Solidarity Worldwide, os pastores Prada e Baez formaram recentemente a Aliança Evangélica Cubana (AIEC) que reúne denominações contrárias à nova constituição de Cuba.

“De acordo com a Lei de Imigração no meu país, de todos que vivem no território nacional, as únicas pessoas que não podem deixar Cuba são aquelas que estão sujeitas a processos criminais ou em casos de preocupação com a defesa e segurança nacional ou razões de utilidade pública”, disse o pastor segundo o Christian Post.

Segundo a CSW, os líderes ficaram surpresos por terem sido impedidos de participar do evento porque alguns deles viajaram para a Europa e a América do Sul há duas semanas sem nenhum problema.

“Ao negar arbitrariamente o direito de viajar para fora de Cuba para esses três líderes religiosos, que representam alguns dos maiores grupos protestantes do país, o governo cubano deixou claro que suas políticas de controle e intimidação não mudaram”, declarou Anna Lee Stangl, advogada do CSW.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •