Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Cuca sofreu na beira do campo da Vila Belmiro ao testemunhar a derrota contra o Flamengo, sofrida na tarde de domingo, pelo Campeonato Brasileiro. O experiente treinador gostou da atuação de sua equipe, mas lamentou as chances desperdiçadas e descreveu como passou a comemorar os gols após a adoção do VAR no futebol.

No primeiro tempo, Raniel marcou após cruzamento de Pará e Marinho também converteu em cobrança de falta, mas o árbitro Wilton Pereira Sampaio, com auxílio do VAR, anulou os dois gols do Santos por impedimento. Ainda na etapa inicial, em um contra-ataque, Gabriel definiu para o Flamengo.

“Perdemos muito gol de novo, gols incríveis no começo do segundo tempo. É um jogo em que, se você faz 1 a 0, o adversário se abre e surge a chance de matar. E, se você empata, o emocional sobe. Naquele momento, o emocional estava abalado”, disse Cuca em alusão aos dois gols anulados pelo VAR.

“Hoje, você não vibra mais com o gol. Você vibra a metade e deixa a metade para depois, porque o VAR está presente em mais de 50% dos gols. O árbitro (de campo) tem poder menor do que o de vídeo. Quem apita mais que o arbitro de campo é o de vídeo”, afirmou.

Cuca e o centroavante Raniel reclamaram do trabalho de Wilton Pereira Sampaio, que teve o auxilio do árbitro de vídeo André Luiz de Freitas Castro. Na súmula, o juiz relatou a invasão de campo da Vila Belmiro por parte de três diretores do Santos para protestar.

“Ele tira o controle emocional”, disse Cuca, sobre o VAR. “Quem reclamaria se os gols do Raniel e do Marinho fossem validados? Acho que estão sendo muito meticulosos. Falei para o pessoal do Flamengo: ‘Se fosse contra vocês, também estariam put…’. E eles entenderam”, contou. (Gazeta Esportiva)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •