Foto: Igo Estrela
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Após a Polícia Federal (PF) ter acatado o pedido de adiamento do depoimento da bolsonarista Sara Winter, advogados dela disseram que vão solicitar uma segunda prorrogação devido à falta dos autos do inquérito contra as fake news, que corre no Supremo Tribunal Federal (STF). As informações são de Metrópoles.

Nessa terça-feira (02/06), data limite do direito de escuta da investigada, os advogados protocolaram o pedido alegando não terem recebido os documentos do processo. Após audiência com a delegada federal Denisse Ribeiro na sede da PF, eles foram novamente ao Supremo tentar pegar o material, mas não tiveram sucesso.

Ao Metrópoles, a advogada contou que audiência foi remarcada para esta quinta-feira (04/06), mas a defesa vai pedir pela segunda vez a prorrogação.

“Ainda não conseguimos obter a integralidade dos autos. Em razão disso, a nossa ampla defesa e o contraditório estão sendo violados e a gente não tem como depor sem ter acesso aos documentos”, disse o advogado Bertoni Barbosa, antes da audiência na PF.

Fake News

Sara é alvo da investigação contra fake news no Supremo, que investiga a disseminação de notícias falsas e ameaças contra ministros da Corte. Além dela, blogueiros, empresários e políticos ligados ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) também estão na mira da PF.

Nessa segunda-feira (01/06), o relator Alexandre de Moraes afirmou que todos os advogados de defesa já receberam a íntegra do processo. Porém, os juristas negam.“O ministro Moraes soltou nota no Twitter dizendo que é fake news, que é falso que os advogados investigados da operação não estão tendo acesso à integralidade dos autos. Eu repito que não estamos tendo acesso”, rebateu Bertoni, antes da audiência.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •