Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Escola Estadual Professor Reinaldo Thompson está pronta para iniciar aulas na metodologia cívico-militar. A constatação foi feita pelo deputado estadual Delegado Péricles (PSL), durante visita à unidade educacional, na manhã desta terça-feira (1º). De acordo com o parlamentar, a reforma nas dependências foi concluída, os professores devidamente capacitados e os militares já estão devidamente alocados para atender os 750 alunos matriculados na unidade escolar. Péricles foi o mediador no processo de implementação do programa do Governo Federal no Amazonas.

“Sou defensor do ensino militar, não só pelos seus inúmeros resultados pedagógicos – muitos reconhecidos até mesmo internacionalmente -, mas pelo poder transformador que ele exerce nas comunidades onde ele é implantado. Os pais de alunos tanto reconhecem isso que os que têm filhos matriculados na Reinaldo, estão ansiosos pelo início das aulas. E a escola está totalmente renovada. Estrutura nova, professores engajados e militares no apoio de gestão. Novos tempos na educação dessas crianças e adolescentes”, afirmou o deputado.

Segundo o deputado estadual, a escola localizada no Coroado é uma das três selecionadas no Estado para receber o Programa de Ensino Cívico-Militar (Pecim), iniciativa do Governo Federal acompanhado diretamente por Péricles, que manteve durante todo o processo de seleção agendas em Brasília e nas escolas que pretendiam concorrer ao  investimento. Além da Reinaldo Thompson, o programa também contempla as escolas Professor Nelson Alves Ferreira e Tereza Siqueira Tupinambá.

“Estive em diversas agendas com o secretário do programa, general Aroldo Cursino, que exerceu grande papel para que nosso estado não fosse excluído. Ao mesmo tempo, acompanhei juntos aos professores e pais, audiências de consulta pública, para auxiliar no que fosse preciso no sentido de apresentar dados em tempo necessário para devida inscrição e concorrência de todas elas. Hoje, ao voltar à escola, tive sentimento de conquista. Que venham outras escolas beneficiadas. Eu trabalharei para isso”, concluiu.

A professora Magabeira, diretora responsável pela escola, afirmou que os pais de alunos não têm escondido a ansiedade pelo início das aulas nesse formato. “A aceitação dos pais foi excelente. Desde a primeira consulta a eles, todos os presentes apoiaram a ideia e citaram não só a possibilidade de melhoria de ensino, mas também de confiança e credibilidade. Quando eu ando pelo bairro, só ouço pais querendo saber quando iniciaremos as atividades”, afirmou.

Já o capitão Edimaci Lira, coordenador de todas as escolas cívico-militares da Região Norte, comemora a integração rápida aos gestores da escola e comunidade. “Todos entenderam a importância e necessidade do programa. Nosso objetivo é somar cada vez mais e trazer benefícios para a comunidade”, concluiu.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •