Bolsonaro anunciou que o superintendente do Rio seria um nome de sua confiança deslocado de Manaus, o delegado Alexandre Saraiva, superintendente da PF do Amazonas
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A crise interna na Polícia Federal atingiu temperatura máxima, segundo informa a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo. “A tentativa de Jair Bolsonaro de interferir na indicação do Superintendente da Polícia Federal no Rio quebrou de vez o que ainda restava de confiança de delegados da cúpula da corporação, de diferentes partes do país, no presidente.

Um pedido de demissão coletiva não está descartado, caso Bolsonaro insista na investida”, diz a jornalista, em sua coluna.

“As críticas ao presidente são abertas e contundentes. Um dos policiais mais prestigiados entre os colegas afirma não se recordar de nada parecido vindo de qualquer outro presidente desde a redemocratização do país. Na quinta (15), Bolsonaro anunciou que o superintendente do Rio seria um nome de sua confiança deslocado de Manaus — o delegado Alexandre Silva Saraiva, superintendente da Polícia Federal do Amazonas. Afirmou que era ele quem mandava e que não seria um presidente ‘banana’”.

Entenda

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã da sexta, 16, que ‘ficou sabendo’ que quem assumirá a chefia da Polícia Federal no Rio de Janeiro será o chefe da PF no Amazonas, Alexandre Silva Saraiva. A afirmação vem um dia depois de a Polícia Federal divulgar que o superintendente da corporação em Pernambuco, Carlos Henrique Oliveira Sousa, é quem substituiria o chefe da PF no Rio, Ricardo Saadi.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •