Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O apresentador de televisão e empresário Ronaldo Tabosa (PP) depois de um ano brigando na Justiça Eleitoral, tomou posse como vereador nesta segunda-feira, na Câmara Municipal de Manaus (CMM), em cumprimento à decisão do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), João Otávio Noronha, que lhe devolveu à vaga na Casa Legislativa. Com a decisão, a suplente Glória Carrate (PSD) teve que deixar o cargo.

Em seu discurso de posse, Tabosa disse assumir o mandato com muita humildade. Ele alegou sofrer perseguição desde 2008, ocasião em que trabalhou para eleger o filho – Jander Tabosa -, para o cargo de vereador.

O novo parlamentar afirmou que irá levantar a bandeira da moralidade política e do bom caratismo, por acreditar que possam ocorrer mudanças na política, em relação aos escândalos verificados no País, como desvio de dinheiro público, por exemplo.

Tabosa agradeceu ao deputado federal Sabino Castelo Branco (PTB), e ao filho deste, o vereador Reizo Castelo Branco (PTB), que teriam manifestado solidariedade, durante o período em que esteve envolvido na disputa judicial com a ex-vereadora Glória Carrate.

Boas vindas

“O vereador Tabosa é muito bem vindo à Casa. Tenho certeza de que ele vem contribuir para a cidade, com a sua experiência, já que ele é um homem de comunicação, e está inteirado dos problemas da cidade. Temos satisfação em recebê-lo”, disse o presidente da CMM, vereador Bosco Saraiva (PSDB), a respeito da chegada do novo parlamentar.

A vereadora Socorro Sampaio (PP), também deu boas vindas ao novo integrante da Casa Legislativa, e chamou a atenção para o fato de que o Partido Progressista terá agora três vereadores na Câmara. Além de Tabosa e Socorro Sampaio, o PP tem como representante na CMM o vereador Álvaro Campelo.

Histórico

Desde o ano passado, Tabosa estava afastado liminarmente do cargo, que estava sendo ocupado pela suplente da coligação, vereadora Glória Carrate (PSD).

Ronaldo Tabosa dos Reis foi eleito vereador em 2012 com 6.418 votos, mas teve o mandato cassado por ter sido considerado inelegível até 2019 após a condenação em uma Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (Aime), ainda em 2008. Na época, o candidato era o filho de Tabosa, Jander Tabosa, que, segundo o TRE-AM usou a imagem do pai para conseguir votos durante o horário eleitoral gratuito e também no decorrer da campanha.

Carrate que obteve 6.266 votos era suplente na coligação ‘Melhor pra Manaus’ e assumiu o mandato no lugar de Tabosa ainda em janeiro de 2013. Ele recorreu da decisão e o TRE-AM negou-lhe o recurso. A vereadora então ingressou com uma Aime pedindo a cassação de Tabosa. O pedido foi negado pelo juiz eleitoral Abraham Campos.

Tabosa ingressou no TRE-AM com um recurso contra a expedição do diploma da vereadora e um recurso no TSE requerendo a sua diplomação, o que foi concedido liminarmente pelo ministro João Otávio de Noronha em fevereiro deste ano.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •