Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A suspensão temporária de voos da MAP Linhas Aéreas para três cidades do Amazonas (Coari, Tefé e Eirunepé) virou pauta na Assembleia Legislativa. Nesta quinta-feira (28), durante cessão de tempo aos gestores da empresa, a deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) propôs a criação de uma força-tarefa discutir o problema e cobrou que a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) assuma a sua responsabilidade sobre a pauta.

Foto: Jimmy Christian

“A gente precisa cobrar a responsabilidade das empresas aéreas, mas a gente precisa também cobrar da ANAC. Há regras que precisam ser regulamentadas, pois essas regras aéreas do Brasil são baseadas locais como São Paulo e Minas Gerais, e no Amazonas a realidade é completamente diferente”, disse Alessandra.

Para a deputada, além do ente federal, é necessário também o envolvimento do Governo do Estado, das prefeituras do interior e da Assembleia para formação de um grupo de trabalho que acompanhe a adequação das pistas aos requisitos operacionais exigidos pela aviação.

“Até mesmo empresas que fazem UTI aérea para a Susam muitas vezes são multadas ou impedidas de voar por conta das condições das pistas. As empresas têm voado pagando multa, às vezes, por pequenas irregularidades nas pistas. É óbvio que precisa ser garantida a segurança, mas  é preciso também que as regras sejam  flexibilizadas sem que se mexa com a segurança, para que as aeronaves pousem sem ser multadas”, concluiu a vice-presidente da Assembleia.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •