Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Uma palhaçada inominável, sem tamanho, coisa de alguém que nada tem pra fazer, foi praticada nesta sexta-feira, 28, pelo deputado estadual Jeferson Alves (PTB-RR), 34 anos, na BR-174, trecho pertencente à reserva Waimiri Atroari.

Acompanhado de seis capangas, dos quais um cinegrafista e um iluminador, Jeferson Alves, por sua conta e risco, arrombou o bloqueio criado e mantido à corrente desde 1970 pelo Exército Brasileiro para proteção de motorista que cruzavam os 125 km de estrada no meio da reserva indígena.

Tudo bem, o bloqueio não tem respaldo de lei, os 125 quilômetros que cortam a reserva foram excluídos por ocasião da demarcação do domínio indígena. Logo, o direito de ir e vir está garantido.

Nem por isso, mesmo  investido de prerrogativas inerentes ao mandato, ao deputado não é facultado o direito de destruir e se apropriar de um bem a ele não pertence com o fito de fazer justiça ao povo de Roraima.

E pra mostrar que é “macho”, que não tem medo de índio e de ninguém, Jeferson Alves dedicou sua tresloucada atitude ao  presidente Bolsonaro  (ver vídeo).

Em junho de 2008, o governo de Roraima, por meio de ação ordinária, tentou na 1ª Vara da Justiça Federal de Roraima o desbloqueio da rodovia. Em maio do ano passado, por proposição do deputado Jeferson Alves, o desbloqueio da BR-174 foi tema de audiência pública na Assembleia Legislativa de Roraima

Por ocasião da audiência, o parlamentar, segundo informação do Google, teria se manifestado sobre o bloqueio: “o governo Bolsonaro teve 70% dos votos em Roraima, prometendo a retirada dessa corrente. Ele tem que se manifestar”.

Palhaçada! 


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •