Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O deputado estadual Orlando Cidade (PTN) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas para fazer um relato sobre a viagem que empreendeu no último fim de semana a três municípios da calha do Madeira: Novo Aripuanã, Manicoré e Borba.

Em Manicoré (a 332 km de Manaus), Orlando Cidade destacou o desenvolvimento por que passa aquele município com a presença marcante da piscicultura, além da agricultura e pecuária. “Sabemos que a região do Madeira sofreu a maior cheia de toda sua história e muitos perderam sua produção arcando com um grande prejuízo. Contudo, o governador José Melo (PROS) está anistiando todos aqueles que perderam sua produção e levando incentivos para novos financiamentos a todos os agricultores daquela calha de rio”.

Segundo Orlando Cidade, houve uma reunião com o gerente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), unidade local em Manicoré, Cleudo Brasil, que lhes apresentou os pleitos existentes nos municípios de Manicoré, Novo Aripuanã e Borba, hoje, com mais de 700 solicitações de créditos junto à Agência de Fomento do Amazonas (Afeam) para financiar os ribeirinhos que perderam toda sua produção.

Cleudo Brasil, de acordo com Cidade, apresentou ainda os projetos de piscicultura implantados em Manicoré, concedidos pelo Instituto de Proteção Ambiental do Estado do Amazonas (Ipaam), num total de 65 projetos, e que, hoje, possui implantados 71 tanques para cria e engorda de tambaquis. “ Um modelo que vai acabar com as nossas necessidades de importarmos peixe do Estado de Rondônia para suprir nossas necessidades”, frisou o deputado.

“Ficamos muito feliz com o que nos foi apresentado em Manicoré pelo gerente Cleudo Brasil, assim como com o gerente do Idam, unidade local em Novo Aripuanã, Lourivaldo Barros, que apresentou 400 projetos para financiamento de uma nova safra para os ribeirinhos daquele município”, destacou Cidade.

“Em Borba”, disse Orlando Cidade, “estivemos conversando com representantes do Idam, que apresentaram a mesma situação, ou seja, a ação do governo para atender aos anseios dos ribeirinhos, que perderam suas produções com a grande cheia. O bom de tudo isso é a nova fase do governo que está deixando de lado a burocracia, além das perversas leis ambientais que perseguiu o povo do Amazonas com leis criadas por ecologistas que fomentava a miséria e a fome para o povo do Amazonas”.

Orlando Cidade informou que vai apresentar, na próxima semana, a evolução econômica do Estado para que o povo do Amazonas e do Brasil tenha conhecimento de nosso avanço e o que ele produziu nos últimos sessenta anos.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •