Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O deputado Cano Maciel (PR), presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Amazonas, em entrevista ao Fato Amazônico, ontem à tarde, fez severas críticas a escala de serviços tirada pelos policiais militares do Ronda no Bairro e disparou contra o secretário do programa, coronel Amadeu da Silva Soares Júnior, afirmando que ele “sacrifica” o policial para ficar bem com o governador.

“Está uma sugação dentro do Ronda no Bairro, porque para o coronel Amadeu, o importante é o policiamento nas ruas”, disparou o deputado, criticando as escalas de serviços dos policiais lotados no programa Ronda no Bairro, que é 3 x 1, 3 x 2 e 2 x 2, o coronel só não tem avisado o governador Omar Aziz, que o policial trabalha 8 horas por dia, mas na maioria das vezes vira 16 horas.

De acordo com o deputado, caso o policial esteja saindo de serviço pela manhã e tiver formatura geral terá de ficar no quartel até quando terminar a solenidade.

Ao tecer críticas, o parlamentou disse que o acidente ocorrido por volta das 3h30min de ontem, quando uma viatura do Ronda no Bairro da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) bateu em um barranco, ferindo gravemente os policiais militares João Paulo Rodrigues Nascimento (motorista) e Tiago Marreiros, vem de encontro as seguidas denuncias feita na tribuna da Assembleia Legislativa em novembro do ano passado, mas que não foram levadas a sério pelo coronel Amadeu.

Maciel disse que, o alto nível de estress dos policiais militares, seguido do aumento de punições por faltas e atrasos motivadas por cansaço e estafa, tem afetado a saúde da tropa que trabalha no Ronda no Bairro.

“A escala apertada do Ronda no Bairro está comprometendo a integridade física dos militares, pois são vários os policiais que já apresentam problema de saúde e sobretudo psicológico”, disse o deputado, afirmado que o problema do acidente não é a viatura, mas a perda da vida dos policiais, que vão acabar morrendo devido a escala desumana de serviço.

Maciel, disse que devido a escala apertada os policiais militares que estão no programa, não tem mais vida social, não tem mais folga, não tem mais como acompanhar seu filho na escola, não tem mais paciência com a esposa em casa e isso tudo reflete na atuação do praça nas ruas com o tratamento com a população.

“Estressado o policial acaba tratando mal o cidadão nas abordagens”, declarou o deputado, afirmando ter tido informações que motorista da viatura do acidente dormiu ao volante. “Isso pra mim é vergonhoso, o governador precisa analisar com muito carinho a escala do programa Ronda no Bairro”, disse Maciel, informando que já manteve contato com o governador Omar Aziz, patra tratar do assunto da escala do programa, que para ele é excelente, mas precisa de mudanças para melhorar.

O deputado disse que entende ser necessário o policiamento nas ruas, mas tem de ser respeitado o período de descanso dos policiais. “Não adianta sacrificar o policiamento agora, daqui a pouco temos um monte de problemas psicológicos, problemas de estafa e cansaço e dormindo na direção da viatura por esta cansado e não ter um período adequado para ele descansar e renovar suas energias para trabalhar”, acrescentou Maciel, afirmando que esta na Assembleia, para contribuir.

O parlamentar disse que, o governador Omar Aziz, não pode ouvir apenas o coronel Amadeu, tem de sentar para conversar com a categoria, as associações e também a Comissão de Segurança Pública da Assembleia, que tem contatos direto nos quartéis.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •